Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Outubro 10, 2010

Coisas do Coração - Emily Giffin - Opinião

 

Depois de, no ano passado, ter lido “Escolhi o teu Amor”, um livro que adorei, não podia deixar de ler este “Coisas do coração” da mesma autora.

Emily Giffin não desiludiu, e “Coisas do Coração” deixou-me presa e envolvida das vidas de Tessa, Nick e Valerie. Com uma escrita fluida e simples, fui levada mais uma vez a meditar acerca de escolhas e opções de vida. De facto, estamos perante um livro que faz pensar sobre o poder das casualidades e na forma como o inesperado pode mudar o rumo de várias pessoas.

Tessa tem um casamento feliz com Nick, têm dois filhos. Na noite do seu aniversário de casamento Nick, que é médico, é chamado de urgência devido a um acidente com um menino, Charlie, filho de Valerie. A partir desta noite é traçado um percurso que vai mudar as vidas destas personagens, surge um triângulo amoroso que, além das três pessoas directamente envolvidas, vai alterar completamente as vidas de outras que lhes estão próximas.

E porque quando as decisões são tomadas com base nas emoções nem sempre os resultados são os mais satisfatórios, duas famílias entram em ruptura e sofrem com as decisões tomadas por Nick. Sem nunca fazer juízos de valor ou estabelecer padrões de certo ou errado, Emily Giffin expõe caminhos e dá ao leitor a oportunidade de acompanhar os desenvolvimentos e pensar sobre as consequências. Podemos optar por valorizar a família, seguir o impulso do amor, ou meditar sobre os resultados das atitudes tomadas.

Uma história que me emocionou e agradou muito, uma leitura que recomendo.

Os meus parabéns à Cláudia Ramos, que é a tradutora deste livro, cujo trabalho me permitiu absorver todas estes sentimentos complexos e meditar acerca das escolhas.

Sinopse

“Tessa é mãe de duas crianças e esposa de um reputado cirurgião plástico. Apesar de todos os avisos da mãe, decide abandonar a carreira para se dedicar à família e à casa. Tessa parece ter uma vida perfeita.
Valerie é advogada e mãe solteira de Charlie, uma criança de seis anos que nunca conheceu o pai. Depois de algumas desilusões, Valerie desistiu do romance na sua vida e até, de certa forma, das amizades, acreditando que é sempre preferível e mais seguro não esperar demasiado dos outros.
Ainda que vivendo na mesma cidade, as duas personagens parecem ter muito pouco em comum, para além de um incondicional amor pelos filhos. Mas, uma noite, um trágico acidente faz com que as suas vidas se cruzem de uma forma que elas nunca poderiam imaginar.”

Porto Editora, 2010

Julho 26, 2009

Escolhi o teu Amor - Emily Giffin

 

Mais um livro que li num sopro, sedenta de chegar ao fim, mas que me deu um imenso prazer a percorrer.

“Escolhi o teu amor” pertence a um dos meus géneros de histórias preferido. Não sei se lhe poderei chamar história, pois cada palavra, cada página parecem tão reais; saídos da alma de quem escreve de uma forma que me fez viver este romance como se fosse uma confidência, uma partilha.
Ellen casou com Andy, irmão da sua melhor amiga, Margot. Mas Ellen tem uma história mal resolvida com o passado e, quando encontra casualmente o ex-namorado Leo, coloca em causa o casamento e a sua suposta felicidade.
Escrito na primeira pessoa e fazendo uso de uma linguagem fluida e muito envolvente, Emily Giffen consegue criar uma grande proximidade com o leitor. Gostei da forma como tudo parece ser um constante desabafo, uma partilha de pensamentos; Ellen esquematiza tudo, procura respostas e causas para os seus actos, não receia admitir a dúvida e procura perceber o que a fará feliz, o que realmente deseja.
Ellen é uma observadora; através dela a autora descreve-nos pessoas, lugares, acções, sentimentos e pensamentos. Ainda amará Leo? Ou será esta uma história mal acabada a que falta uma última conversa, um ponto final? Levando as dúvidas ao extremo pondera retomar o contacto com o passado mas receia perturbar a sua relação actual, o seu casamento, e colocar em causa a família que a acolheu e a adora.
É um livro sobre escolhas. Sobre o poder do amor e da sorte. Sobre como uma situação inesperada nos faz pensar nos nossos actos, e em como encararíamos o passado se a situação presente fosse diferente. Ellen questionaria voltar para Leo se estivesse a viver um momento particularmente feliz com Andy? Mas não está, e o poder dos momentos felizes do passado com Leo assumem uma força que a fazem estar permanentemente em dúvida. Fiel a si própria escolhe o caminho certo. Ou será que não? Eu achei que sim…
Sinopse
“Como se pode voltar a amar verdadeiramente alguém se ainda não esquecemos quem partiu?

"Escolhi o Teu Amor" é uma história envolvente sobre uma mulher na encruzilhada da vida e das emoções e sobre as razões que, por um lado, nos fazem escolher amar quem amamos e, por outro, nos impedem de esquecer quem nos partiu o coração.
A relação de Ellen e Andy não é só aparentemente perfeita.
Eles amam-se verdadeiramente. Não há dúvidas de que a sua relação é repleta de entrega e devoção mútuas.
Até que um dia acidentalmente, Ellen cruza-se com Leo, o ex-namorado com quem manteve uma relação problemática e obsessiva; o mesmo homem que um dia, sem explicação, a deixou e lhe despedaçou o coração.
Leo, que Ellen nunca esqueceu e que, oito anos depois, reaparece por acaso e faz com que ela questione se a vida que tem é, afinal, a vida que quer e merece.”
 
“Uma Jane Austen contemporânea” Cincinnati Enquirer
 
Porto Editora, 2009