Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Outubro 01, 2014

Escritaria transforma Penafiel na Cidade Lídia Jorge

Homenageada pelo Escritaria, que se iniciou hoje e decorre até domingo, Lídia Jorge vai estar no centro das atenções em Penafiel, cidade que este ano acolhe a 7ª Edição daquele que é considerado o maior Festival Literário em torno de um escritor de língua portuguesa.

Depois de Urbano Tavares Rodrigues, José Saramago, Agustina Bessa-Luís, Mia Couto, António Lobo Antunes e Mário de Carvalho, eis que Penafiel resolve, desta feita, transformar-se na cidade Lídia Jorge. Durante 5 dias, a vida e obra da autora podem ser conhecidas através de conferências, exposições, teatro, cinema, arte de rua e arte pública.

Para além de Lídia Jorge, Penafiel vai igualmente receber diversas individualidades que, de algum modo, estão relacionadas com a escritora, entre elas, Eunice Muñoz, José Fanha, Padre Anselmo Borges, Pilar del Rio, Mónica Baldaque, Mário de Carvalho, António Carlos Cortez, Inês Pedrosa, Fernando Pinto do Amaral, Carlos Reis, Cucha Carvalheiro, José Carlos Vasconcelos, João Céu e Silva, Karin von Schweder-Schreiner, Luís Ricardo Duarte, Maria Manuel Viana, Patrícia Reis, Pierre Léglise-Costa, Conceição Brandão.

No dia 4 de Outubro, sábado, às 21h30, no Museu Municipal de Penafiel, o Padre Anselmo Borges fará a apresentação pública de O Organista, o mais recente livro de Lídia Jorge, um conto que nos fala da criação do Universo e da relação dos homens com Deus.

Na véspera, também às 21h30, uma estreia no Escritaria: o jornalista Fernando Alves conversa com Lídia Jorge, num registo informal e descomprometido, conversa essa aberta ao público e que permitirá, também, conhecer um pouco mais o percurso literário da autora de O Dia dos Prodígios.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.