Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Julho 02, 2014

Marcador - O Espião que devia ter Morrido

 

Mais de 300 dias preso, quase morto e em condições desumanas no Camboja, por revelar o maior escândalo internacional de emissão de dólares falsos para financiamento de operações das maiores agências de segurança internacionais, assim começa a história do Agente Kasper.

Hoje com 55 anos, decidiu contar a sua história e revelar ao mundo como são produzidas quantidades assustadoras de dólares falsos que são libertados para os mercados internacionais, que irão servir para operações desencadeadas por agências internacionais de segurança como a própria C.I.A.

Sempre envolvida num secretismo desmedido, a missão encomendada a Kasper era descobrir o que se escondia num sótão na embaixada da Coreia no Cambodja. O Agente Kasper jamais podia imaginar o que ia encontrar: milhões e milhões de dólares em notas de cem, todas impressas fora de território americano. As supernotes. Poucas horas após esta macabra descoberta era preso e torturado. A milhares de quilómetros da sua pátria e sem qualquer apoio internacional, estava abandonado à sua sorte. Sobreviveu para contar a sua história.

«Notas de 100 dólares são impressas na Coreia do Norte em máquinas autorizadas e com as quais os Serviços de Inteligência dos EUA pagam (de forma secreta e escondida da opinião pública) a regimes criminosos, traficantes de droga e outros agentes do mercado negro internacional. Tudo em nome da segurança nacional americana.» - La Repubblica

AGENTE KASPER é apenas um dos nomes de código usados na sua longa passagem pelos serviços secretos e pelo ROS. Pilote de aviação, especialista em artes marciais e, todo o tipo de armas e explosivos, Kasper protagonizou importantes operações contra a criminalidade internacional relativa ao tráfico de droga e à lavagem de dinheiro.

 

O livro foi escrito em conjunto com:

LUIGI CARLETTItrabalhou durante trinta anos no Gruppo Espresso-Repubblica com as funções de enviado especial, redator-chefe e diretor. Para o La Repubblica realizou investigações sobre os grandes temas da atualidade. Como escritor, tem publicações em Itália e em França. Em 2013, foi lançado pela editora Mondadori o seu livro Cadavere Squisito.

Título: O ESPIÃO QUE DEVIA TER MORRIDO 

Autores: Agente Kasper e Luigi Carletti

Editora: Marcador 

Nº de Páginas: 390 

PVP: 18,50€ 

Junho 14, 2014

NOVO LIVRO DE LILIANA LAVADO - À VENDA A 17 DE JUNHO

 

Encontro em Itália é a história de dois amigos de Infância. Henrique e Sara que pouco têm em comum, para além de uma paixão por livros e uma amizade que ambos já deram como perdida. Depois de vários anos de silêncio, ele é um estudante finalista de Literatura Inglesa que olha com receio os dias fora das paredes seguras da Universidade e ela uma aspirante a escritora que se esvanece no tumulto de um grupo de amigos problemático. Mas tudo isto vai mudar.

Durante uma viagem a Itália, que tem tudo para ser perfeita, vão encontrar um livro misterioso, um gato com um estranho sentido de humor e uma inesperada aventura que os volta a juntar no mesmo caminho.

Henrique e Sara podem ter encontrado um no outro o pretexto que tanto procuravam para adiar decisões e contornar o futuro, mas, em troca recebem também o que não pediram e aprendem que o futuro é inevitável.

LILIANA LAVADO é natural de Estarreja, licenciada em Gestão de Marketing pelo IPAM, com uma especialização em Strategic Marketing in Action pelo IMD na Suíça. Viveu em Lisboa durante sete anos e vive atualmente na Suíça. A sua carreira profissional tem passado pelas áreas de logística e marketing operacional em diferentes multinacionais, como a Nespresso. Começou a escrever quando estava na faculdade e, depois de repetidas visitas a livrarias sem encontrar nenhum livro que lhe apetecesse ler, resolveu que o melhor a fazer era pôr mãos à obra e escrevê-lo ela mesmo. Pela Marcador, publicou também o livro Inverno de Sombras.  

Título: Encontro em Itália 

Autor: Liliana Lavado 

Editora: Marcador

Nº de Páginas: 488 

Formato: 15,5x23,5 cm 

PVP 17,50€ 

Maio 20, 2014

Marcador - Mar Humano, de Raquel Ochoa

 

Mar Humano parte da ligação turbulenta entre duas pessoas e penetra em temas como a longevidade da vida humana, a responsabilidade que os sentimentos acarretam, a luta pela liberdade de expressão e o impacto da ciência na evolução da consciência. É um brinde à coragem de cada indivíduo em ser autor da sua própria vida.
Uma história de amor vivida nos bastidores da imprensa portuguesa e que atravessa o século XX. A improvável longevidade dos sentimentos e um fnal surpreendente, conjugados num romance histórico que vai encantar o leitor por razões que não está à espera.

SE O AMOR EXISTE, PORQUE ESPERAR UMA VIDA INTEIRA PARA O ENCONTRAR?
Portugal, meados do Estado Novo. No caminho para a liberdade, o destino cruza escrita e ciência. Dois jornalistas escrevem e investigam e, sem suspeitar, vão encontrar um sentido para a vida.
Apesar das grandes transformações que Portugal vive durante o século XX, constata-se que a mentalidade de uma sociedade pouco habituada a questionar. Refecte-se no dia-a-dia, sobretudo na monotonia das relações.
«Depois de dois encontros na praia em pleno Verão de 1935, encontros que os sossegaram mutuamente e, inédito, em que conversaram sobre eles mesmo, sondando sentimentos e revelando com relativa sinceridade o impacto que exerciam um no outro, [...]. O jogo continuava. Desta fábula inesgotável, ao contrário do que Ema pensava enquanto apertava o seu melhor vestido, ainda não era possível ver o fm. Grandes amores e grandes negócios comportam grandes riscos, diz-se. Por vezes o preço é a saúde mental.»

RAQUEL OCHOA viaja mais do que escreve, mas as viagens têm-lhe dado muito que escrever, ou não tivesse começado a sua trajetória literária com O Vento dos Outros, o retrato de uma longa deambulação pela América do Sul, também publicado pela Marcador. De seguida publicou Bana – Uma Vida a Cantar Cabo Verde, a biografa de um dos mais importantes intérpretes lusófonos. A Casa-Comboio, a saga de uma família indo-portuguesa, reconheceu-o como revelação com o Prémio Agustina Bessa-Luís. Em 2010 publicou a biografa de D. Maria Adelaide de Bragança, a quem chamou A Infanta Rebelde. Misturando fcção e literatura de viagens, publicou Sem Fim à Vista, um périplo pelo Oriente e Oceânia centrado na debilidade do ser humano quando perde a saúde perante um mundo inteiro ainda por explorar.

Título: MAR HUMANO
Autor: RAQUEL OCHOA
Editora: Marcador
Nº de Páginas: 240
PVP: 17€

Maio 02, 2014

Marcador - O Homem que Perseguia o Tempo, de Diane Setterfield

 

Num momento de rivalidade infantil, William deixa-se levar pelo entusiasmo e não hesita em apontar a fisga a uma gralha-calva poisada num ramo, acabando por matá-la.
Um ato que, apesar de cruel, não teve qualquer significado e depressa foi esquecido. Mas as gralhas-calvas não esquecem…
Anos depois, na idade adulta, já com mulher e filhos, entra na sua vida um desconhecido misterioso e a sua sorte começa a mudar. Surgem então as consequências terríveis e imprevistas daquele incidente do passado.
Numa tentativa desesperada de salvar o único bem precioso que lhe resta, William celebra um acordo deveras estranho, com um sócio ainda mais estranho. Juntos, fundam um negócio inquestionavelmente macabro.

Diane Setterfield é uma autora britânica que nasceu em Englefield, em 1964. Passou grande parte da infância na localidade vizinha Theale. A autora é, nas suas palavras, «em primeiro lugar, leitora, e em segundo, escritora». O primeiro livro da autora foi bestseller do The New York Times e está publicado em 30 países. Em Portugal chama-se O Décimo Terceiro Conto e é publicado pela Marcador.
À VENDA A PARTIR DE 6 DE MAIO
Título: O Homem Que Perseguia O Tempo

Autora: Diane Setterfield 

Nº de Páginas: 406

PVP 18,50€

Abril 25, 2014

Marcador - No País da Nuvem Branca, de Sarah Lark

 

Londres, 1895. Duas raparigas empreendem uma viagem de barco rumo à Nova Zelândia e tornam-se amigas. Trata-se, para ambas, do início de uma nova vida como futuras esposas de dois homens que não conhecem. Gwyneira, de origem nobre, está prometida ao filho de um magnata da criação de ovelhas, enquanto Helen, uma jovem preceptora, parte para se casar com um fazendeiro. Procuram encontrar a felicidade num país que promete ser o paraíso. No entanto, as ilusões de ambas depressa se esfumam, principalmente quando descobrem que a sua amizade está em perigo porque os maridos são inimigos.
Gwyneira e Helen são mais fortes do que acreditam ser e rompem com os preconceitos e as restrições da sociedade em que vivem, mas serão capazes de alcançar o amor e a felicidade do outro lado do mundo?

SARAH LARK é um pseudónimo de Christiane Gohl. Nascida na Alemanha, vive atualmente em Almería, Espanha. Formou-se em Educação e trabalhou como guia turística, redatora publicitária e jornalista. A inclinação para a escrita marcou todos os empregos por que passou.
Com uma produção literária vastíssima, alcançou o sucesso de vendas e o reconhecimento literário graças à saga maori. No País da Nuvem Branca é o primeiro volume.
Com mais de dois milhões de leitores em todo o mundo, escrever romances não é, para ela, muito mais do que sonhar acordada.

Título: NO PAÍS DA NUVEM BRANCA 

Autor: SARAH LARK 

Tradutora: Ana Mendes Lopes 

Editora: Marcador 

Nº de Páginas: 679

Preço: 19,95€ 

Abril 19, 2014

Marcador - Prometo Falhar, de Pedro Chagas Freitas

 

Prometo Falhar é um livro de amor.
O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. O amor.
No seu estilo intimista, quase que sussurrado ao ouvido, Pedro Chagas Freitas leva o leitor aos estratos mais profundos do que sente. E promete não deixar pedra sobre pedra.
Mergulhe de cabeça numa obra que mostra sem margem para equívocos porque é que é possível sair ileso de tudo. Menos do amor.

PEDRO CHAGAS FREITAS escreve. Publicou 22 das mais de 150 obras que já criou. Foi, ou ainda é, jornalista, redactor publicitário, guionista, operário fabril, barman, nadador salvador, jogador de futebol, e muitas outras coisas igualmente desinteressantes. Orienta desorientadas sessões de escrita criativa por todo o país e arredores. Gosta de gatos, de cães e de pessoas. Não gosta de eufemismos e de bacalhau assado.

Título: PROMETO FALHAR 

Autor: PEDRO CHAGAS FREITAS 

Editora: Marcador
Nº de Páginas: 384 

PVP 17,50€