Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Fevereiro 11, 2008

O Banquete do Amor

Gosto deste tipo de filmes. Que nos fazem pensar na vida, de como usamos o nosso tempo e de como ele é precioso.

O Banquete do Amor é um filme que vive de personagens ricas com as quais nos identificamos pois podiam ser qualquer um de nós...vidas cruzadas...amigos...amantes.

 

Adorei a personagem de Morgan Freeman, um professor local que assiste com particular perspicácia ao desenvolvimento das histórias de amor do restante elenco.

 

"Do ilustre realizador vencedor de vários Óscares da Academia, Robert Benton (“Kramer contra Kramer”, “Um Lugar no Coração”), chega-nos uma ode caleidoscópica à vida e ao amor, com todas as suas facetas cómicas, sexuais, loucas e dolorosas, «O BANQUETE DO AMOR».

Num café numa comunidade muito fechada no Oregon, o professor local e escritor Harry Stevenson (Morgan Freeman) assiste ao amor entre os residentes da cidade «a fazer das suas». Entre os jovens e os adultos, entre os pais e amantes, entre o doce e o bárbaro, entre os humanos e até os animais, Harry observa com reverência enquanto o amor engana, fere, devasta, inspira, com propositadas exigências e afecta profundamente as vidas de todos à sua volta – incluindo a sua própria vida.

Desde o romântico e obstinado dono do café, Bradley (Greg Kinnear) que tem o hábito de procurar o amor em todos os sítios errados, incluindo na sua mulher Kathyrn (Selma Blair); à irritadiça agente imobiliária Diana (Radha Mitchell) que se deixou envolver com um homem casado (Billy Burke) com quem tem uma ligação inefável; à jovem e bela recém-chegada Chloe (Alexa Davalos) que desafia o destino ao namorar o perturbado Oscar (Toby Hemingway); ao próprio Harry, cuja adorada mulher (Jane Alexander) procura chegar até ele e passar por cima da sua grande dor após a perda de alguém muito próximo.

Todas estas histórias se entrelaçam numa épica história de amor em que ninguém consegue evitar a tensão, a confusão, o prazer e fundamentalmente a compensação do feitiço inevitável do amor. "

 

MGM, 2007

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.