Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

planetamarcia

planetamarcia

Outubro 27, 2012

Amália, O Romance da sua Vida - Sónia Louro - Opinião

Foi com grande curiosidade que iniciei esta leitura. O meu conhecimento sobre a vida de Amália Rodrigues era bastante reduzido, conheço uma parte do seu trabalho, colossal marco da nossa cultura, mas pouco ou nada sabia da pessoa Amália Rodrigues.

A ideia generalizada que eu tinha não era muito abonatória, confesso. Uma constante associação a uma atitude de arrogância e distância em relação ao público. Mas nada como ler e saber mais para mudar de ideias, ou confirmá-las.

Se por um lado me deparei com várias descrições de uma Amália humilde e tímida, em diversas ocasiões são apontados comportamentos que vão de encontro à ideia que exprimi acima. Continuo sem estar muito esclarecida em relação a este ponto, apesar do livro ser exaustivo no que toca a todos os passos da carreira da fadista, para mim esta dúvida persiste. Amália foi uma diva, com comportamentos de diva por esse mundo fora; tinha uma voz única, presença forte em palco, sinceramente não penso que a timidez lhe fosse abonatória na função de uma das grandes embaixadoras do nosso país.

Saber os detalhes das paixões e amores de Amália suscita curiosidade mas não tem o meu particular interesse. Senti que o tempo passa devagar neste livro, que percorremos mesmo todos os passos da vida da fadista. Achei interessante mas talvez demasiado exaustivo.

Este é o segundo livro que leio da Sónia Louro, gosto da escrita da autora e admiro muito o trabalho de pesquisa que prepara para os seus livros. Contudo, tenho de admitir que “O Cônsul Desobediente” me empolgou muito mais. A verdade é que o percurso de Aristides de Sousa Mendes me interessa e comove muito mais do que a vida de Amália Rodrigues. Não se pode sequer comparar.

Confirmo mais uma vez o talento de Sónia Louro, de quem espero ler mais livros, mas a verdade é que o meu interesse pela vida de Amália Rodrigues não foi suficiente para manter o nível elevado de interesse que gosto de ter quando leio. De nenhuma forma retiro mérito à autora, que me fez inclusive estar constantemente a trautear os fados da Amália, mas a verdade é que há figuras da nossa história e da nossa sociedade que me atraem muito mais.

Pelo mito, pelo percurso, por ser possivelmente a nossa grande diva de sempre, recomendo e aconselho esta leitura.

Sinopse

“Este é o romance sobre a vida de Amália, a fadista mais amada e, simultaneamente, mais desconhecida em Portugal. Operária numa fábrica de rebuçados, estreia-se a cantar em 1939. Movida apenas pela vontade de cantar e sem qualquer ambição, nem sonha que um dia será a maior artista portuguesa de sempre.
Ganhando rapidamente projecção internacional, deixa multidões rendidas à sua voz. E também os corações se rendem ao seu magnetismo: do simples povo a estrelas como Charles Aznavour ou Anthony Quinn. Mas enquanto destroça corações, o seu vive apenas desilusões. Várias vezes contempla o suicídio. Recebendo propostas milionárias para ficar a trabalhar no estrangeiro, o amor a Portugal fá-la sempre regressar. Ano após ano arrebata galardões, conquista os críticos e cruza-se com as grandes personalidades do seu tempo: Édith Piaf, Hemingway, Frank Sinatra.
No final da vida, o que pode querer alguém com o mundo a seus pés? A felicidade que nunca sentiu? A autoconfiança que nunca teve? Amália deixou-nos no dia 6 de Outubro de 1999 com uma só ambição: que a chorássemos quando morresse. Uma vida tão bela quanto inspiradora.”

Saída de Emergência, 2012