Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Outubro 07, 2012

Como um Romance - Daniel Pennac - Opinião

Um livro sobre a relação que temos com os livros. Muito interessante e incisivo. Desde a infância à idade adulta, o que nos faz (ou não faz) ler afinal?

Daniel Pennac é professor e partilha sobretudo experiências da escola que viveu com os seus alunos. Mas este livro é mais do que isso, refere também a leitura em casa enquadrada no ambiente familiar.

Quantas pressões existem em redor da leitura! Pais que forçam os filhos a ler, a ganhar hábitos de leitura, mas nem sempre da melhor forma. O insucesso é flagrante. A verdade é que a seriedade com que se encaram os livros dificilmente chega a maravilhar qualquer criança. Vistos como objetos maçudos e pouco apelativos, os livros são injustamente postos de lado por não serem apresentados como uma brincadeira tão apelativa como outras. E quantos prazeres se podem descobrir através das suas páginas? Como superam qualquer outro brinquedo com relativa facilidade? É preciso saber maravilhar e conquistar as crianças. Pessoalmente não me lembro de nada capaz de o fazer melhor que os livros.

O melhor deste livro é a liberdade, a forma como se desliga dos tabus dos livros. E há tantos! Eu não imaginava até ler e pensar sobre o assunto. Não admira que as pessoas leiam pouco, a sociedade muitas vezes trata os livros como algo superior, que se calhar muitas pessoas não iriam entender, eu sei lá…

Nós leitores muitas vezes também nos deixamos levar por regras rígidas de leitura que, pensando bem, se queremos fazer da leitura um prazer, se tornam disparatadas e devem cair por terra.

O leitor tem direitos. Depois desta leitura eu resumo tudo num: tirar o melhor partido de um livro, ler acima de tudo com gosto. Partilho com todos “Os direitos inalienáveis do leitor” de Daniel Pennac. Apenas os tópicos. Desenvolvidos neste livro de uma forma muito interessante.

1-O direito de não ler;

2-O direito de saltar páginas;

3-O direito de não acabar um livro;

4-O direito de reler;

5-O direito de ler não importa o quê;

6-O direito de amar os “heróis” dos romances;

7-O direito de ler não importa onde;

8-O direito de saltar de livro em livro;

9-O direito de ler em voz alta;

10-O direito de não falar do que se leu:

Recomendo a todos os que gostam de ler, mas acima de tudo gostam de livros.

Sinopse

“É sobejamente conhecido o desgosto com que os pais preocupados com a formação dos filhos costumam registar a inapetência destes para a leitura. Daniel Pennac, romancista, professor e pai de família, descreve neste ensaio cheio de humor, todas as perplexidades que usualmente assaltam os diversos intervenientes neste processo de conflitos surdos, temores, bloqueios e teimosias.
Acima de tudo, conforme se sublinha no presente livro, a leitura tem de ser um prazer e os leitores de hoje devem usufruir de alguns direitos inalienáveis.
Como Um Romance é assim uma obra profundamente original, onde, de uma forma ao mesmo tempo divertida e muito séria, se aborda aquela que é porventura a questão central de que dependem o destino do livro e da cultura tal como a temos entendido tradicionalmente.
Como Um Romance liderou durante vários meses a lista dos livros mais vendidos em França e o seu impacto originou que se falasse mesmo do "fenómeno Pennac".”

Asa, 2010

2 comentários

Comentar post