Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Julho 14, 2012

Irmãs de Verão - Judy Blume - Opinião

 

“Irmãs de Verão” é uma história doce com alguns momentos de amargura. A amizade, como o amor, tem a sua dose de sorrisos e de sofrimento.

Só a partir de determinada altura é que esta leitura se tornou viciante para mim, confesso que o início não me cativou por aí além. Apesar de achar que a narrativa está muito bem construída, e que a forma como a autora apresenta estas irmãs, com um prólogo intrigante que é um “cheirinho” de um dos últimos capítulos, a verdade é que os primeiros anos (os mais infantis) destas amigas não me envolveram na leitura como eu gostaria.

Mas partir dos anos da adolescência, com a rebeldia e os primeiros amores, dei por mim ansiosa que as horas do dia passassem para avançar mais um pouco nas vidas destas meninas, e entender como é que Caitlin casou com Bru – casamento de que temos conhecimento no citado prólogo.

Victoria e Caitlin tornam-se amigas e passam todos os Verões juntas a partir dos 12 anos. Caitlin é rebelde e faz tudo para ser diferente, é habitualmente o centro de todas as atenções, Victoria deixa-se impressionar e quer ser como ela. Mas este não é apenas o relato de Vix e Cassandra, como elas próprias se denominam, é também as suas histórias de família, as suas origens, o que as faz ser como são. A narrativa é muitas vezes interrompida pela voz das outras personagens, ou melhor, é um conto a várias vozes pois mediante os acontecimentos vamos “ouvindo” os pensamentos das pessoas em redor.

São anos e anos de Verões juntas, de aprendizagem, exploração dos seus corpos em crescimento, dos sentimentos e dos primeiros amores. Victoria apaixona-se por Bru e vivem uma história de amor envolvente e muito excitante. É aqui que cada vez mais o livro toma conta do leitor. Pois enquanto Caitlin passa anos a viajar pelo mundo a colecionar aventuras e parceiros sexuais, Victoria e Bru estão cada vez mais próximos e apaixonados. Como é que pode ser Caitlin a casar com Bru? Queremos saber, queremos descobrir, e lemos, lemos, lemos com prazer e vontade. Só no final é que as coisas acabam por fazer sentido, pois nem tudo é o que parece e uma amizade pode fazer acumular alguns sentimentos menos nobres.

Mas para saberem mais há que ler.

Um género que já não lia há algum tempo e que me deu vontade de me deixar levar por mais romances. Gostei muito e recomendo.

Sinopse

“«Por um momento, foi como se nunca se tivessem separado. Ainda são, e serão para sempre, as irmãs do verão. O resto é um erro, uma piada de mau gosto.» Vix Leonard tem doze anos quando conhece a estonteante e temerária Caitlin Somers. À medida que os dias de aventuras ousadas dão lugar a noites de descobertas tímidas, Vix e Caitlin aproximam-se ainda mais, graças às dificuldades do processo de crescimento, ao refúgio na sensação de pertencerem a alguém e ao pacto de Nunca Serem Vulgares... Até ao verão arrasador em que um rapaz da terra altera tudo. Anos mais tarde, a vida separa-as, mas a marca da amizade que as uniu mantém-se. Quando Caitlin pede a Vix que regresse a Martha`s Vineyard para o seu casamento, Vix sabe que não se recusará a ir. Quer compreender o que aconteceu nesse verão em que tudo foi destruído... e porque é que a sua melhor amiga ainda tem o poder de lhe partir o coração.”

Asa, 2012

1 comentário

Comentar post