Quarta-feira, 11 de Julho de 2012

Livro - José Luís Peixoto - Opinião

Não foi por colocar em causa a qualidade da escrita de José Luís Peixoto que não tinha ainda lido um romance dele. Ou melhor, concluído um romance. Pois que a verdade é que iniciei a leitura de “Uma Casa na Escuridão” quando foi editado, mas a densidade da narrativa impressionou-me de tal modo que não cheguei à última página.

Vim a acompanhar algumas das crónicas de opinião que publica/publicou em alguns jornais e revistas, gosto de ir ao blogue dele e saber em quantas mais línguas está a ser publicado, orgulha-me o seu sucesso. Gosto dele, pronto. Sabe escrever.

Finalmente li “Abraço”. Foi tudo o que eu esperava e muito mais. Uma coleção de textos que me deliciaram por me identificar com alguns ou só porque me delicio com a escrita do Peixoto. Mas enfim, romances ainda nada.

Mas chegou o dia de tirar “Livro” da estante. Estas coisas não têm grande explicação, saltou-me para as mãos e comecei. E então fui lendo, percorrendo as páginas de uma escrita belíssima (como já sabia que ía ser). A pouco e pouco fui juntando as peças de uma história, conhecendo os personagens e a forma como se relacionam. Nem tudo é dito (escrito), gosto da margem que o autor dá para imaginar e construir o que fica por dizer; ajuda a visualizar e principalmente a criar, para mim, este “Livro”.

Não é o primeiro livro que leio sobre os anos da emigração para França, sobre a forma como os portugueses empreendiam uma verdadeira odisseia para chegar a um país diferente, onde não eram bem recebidos, faziam o trabalho que mais ninguém queria, mas mesmo assim lá íam conseguindo ter algumas coisas e construir o que o nosso país não lhes permitia obter.

“Livro” não é só isso. É um relato muito bom dessa situação mas vive das personagens e do inesperado, dos encontros e desencontros, do amor oprimido, fugido e desencontrado, das histórias do passado que explicam o presente, e do futuro que acaba por nos levar ao ponto de partida. Não é simples. Ainda bem. Requer dedicação e atenção. “Livro” é um livro a ser acarinhado, que quando pensamos que já deslindámos tudo se revela e surpreende, e percebemos o que realmente é. “Livro” é um círculo, um caminho que se percebe no fim.

Adorei a caracterização das personagens e dos seus modos, da linguagem, perfeitamente adequada aos anos e locais. Começamos em 1948 numa terra pequenina em Portugal. Os diálogos, os pensamentos, a maneira de estar… é tudo tão português, tão de época. Que sei eu? Não vivi nessa época. Mas o autor também não e foi para lá, e levou-me para lá também. Convenceu-me de tudo, acredito que foi mesmo assim. Que o amor de Adelaide e Ilídio os castigou, que os desencontros os fizeram desaparecer mas nunca esquecer, que uma história que começa com um livro, que se chama livro tem de chegar ao fim e… criar, acrescentar e enriquecer quem a lê.

Complexo? Não, muito simples. Muito bonito. Mesmo.

Sinopse

“Este livro elege como cenário a extraordinária saga da emigração portuguesa para França, contada através de uma galeria de personagens inesquecíveis e da escrita luminosa de José Luís Peixoto. Entre uma vila do interior de Portugal e Paris, entre a cultura popular e as mais altas referências da literatura universal, revelam-se os sinais de um passado que levou milhares de portugueses à procura de melhores condições e de um futuro com dupla nacionalidade. Avassalador e marcante, Livro expõe a poderosa magnitude do sonho e a crueza, irónica, terna ou grotesca, da realidade. Através de histórias de vida, encontros e despedidas, os leitores de Livro são conduzidos a um final desconcertante onde se ultrapassam fronteiras da literatura.”Livro” confirma José Luís Peixoto como um dos principais romancistas portugueses contemporâneos e, também, como um autor de crescente importância no panorama literário internacional.”

Quetzal, 2011

publicado por marcia às 00:42
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Clarinda a 11 de Julho de 2012 às 11:31
Revejo-me na totalidade da tua opinião. Uma escrita belíssima, um grande autor!
Clarinda
www.lerviverler.blogspot.com
De marcia a 12 de Julho de 2012 às 01:19
Obrigada Clarinda. É de facto extraordinário.
De numadeletra a 11 de Julho de 2012 às 21:11
Já o li há mais de um ano e mesmo assim há passagens e momentos do livro que me saltam à memória de vez em quando.
Sabem-me bem essas recordações.
De marcia a 12 de Julho de 2012 às 01:20
Não sabia que já tinhas lido, já leste mais algum do José Luís Peixoto?
De numadeletra a 12 de Julho de 2012 às 14:40
Não, só li "Livro".
De Fernanda a 3 de Abril de 2013 às 07:13
Vou ser franca: Detestei o Livro... e tao secante- pouco se passa e depois de repente tudo torna-se muito confuso.... nao vale a pena ler Livro porque e uma estupidez!!!!! X(
De Anónimo a 8 de Abril de 2013 às 18:47
Fernanda, por acaso não leste "Livro" por estares a participar no concurso entre escolas que a faze final é mostrada na RTP pois não? Desculpa a pergunta mas como vi a data do teu comentário pensei que esse talvez fosse o teu caso. Se não é desculpa, mas acontece que esse É o MEU caso, e eu após o ler tive exatamente a mesma opiniao que tu, não gostei, não percebi nada do fim (parte 2), mas a verdade é que apesar disso adorei a escrita, a forma como o autor nos conta a história de uma forma tão peculiar... Por isso penso que talvez daqui a uns tantos anos esse livro possa tar talvez enquadrado nos meus preferidos( pela escrita, a história, mais uma vez tenho que concordar com a tua opiniao). Bem desculpem-me pelo longo comentário, é só que descobrir alguém que partilha da minha opiniao me deixou mais aliviada a pensar que não sou a única. Se tbem tiveres a participar no concurso, boa sorte para as duas :)
De Virgílio Bernardes a 27 de Novembro de 2013 às 13:53
Olá, também adorei o "livro", foi maravilhosa a história contada até porque me identifico bastante com este período da história Portuguesa tão pouco relatado em todo o lado. Li na tua crítica que já leste mais livros sobre o tema da imigração para franca, poderias-me dizer os títulos desses livros? É que já procurei por todo o lado e não encontro mais nada a não ser teses de mestrado sobre o tema, e queria algo mais no formato livro.
Parabéns pela crítica, muito bem elaborada.
De Anónimo a 14 de Maio de 2018 às 17:01
Eu li "Livro" no ano passado exatamente para o COncurso Nacional de leitura e AMEI a obra! Gostei tanto que o li duas vezes seguidas! Agora, outra vez para o mesmo concurso, acabei por lê-lo uma terceira vez e com certeza que seria capaz de repetir! É simplesmente extraordinário! A segunda parte, se formos procurando informação e fazendo pesquisa, conseguimos entendê-la na perfeição; aliás, é na segunda parte que se entende o livro no seu todo. A sério, leiam que de certeza que não se arrependem.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Os Loucos da Rua Mazur, d...

. Livros ao preço de postai...

. Uma Coluna de Fogo - Ken ...

. Os Loucos da Rua Mazur, d...

. Lançamento da Antologia d...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

.últ. comentários

Eu li "Livro" no ano passado exatamente para o COn...
Tenho o livro e é excelente as letras são boas est...
Encontrei escrito em português de Portugal, foi tr...
Acabo de ler o livro e gostei muito. Pode não ser ...
Li A Oeste Nada de Novo, era jovem. Tema interessa...
Quero! MUITO!!!
Também acho!
Demasiadas páginas que voam...
Interessante cou ler também.
Nunca cheguei a ler OS Pilares da Terra, mas vi a ...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds