Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Fevereiro 01, 2012

Amanhã, quinta, 2: Ciclo de 'Grandes Escritores - Prémios Cervantes e Camões' na Bulhosa

 

A Bulhosa de Entrecampos acolhe, a partir desta quinta-feira, 2 de Fevereiro, às 18h30, o ciclo de debates Grandes Escritores - Prémios Cervantes e Camões – uma iniciativa da Casa da América Latina, em colaboração com o Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa) e o Centro de Estudos Comparatistas (Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa). A primeira sessão vai ser dedicada ao escritor mexicano Alejo Carpentier (1924-1980) e será orientada pela docente e investigadora Isabel Araújo Branco.

Filho de um arquiteto francês que dois anos antes se transferira para Cuba, Alejo Carpentier (1924-1980) desiste de Arquitetura aos dezassete anos para tornar-se jornalista. Em 1928 é preso por razões políticas, mas, ajudado por intelectuais franceses, foge para França, onde fica até 1939. Nessa altura, retorna a Cuba para trabalhar na rádio. De 1945 até 1959 mora na Venezuela, regressando mais uma vez a Cuba, com a vitória da revolução, para dirigir a Editora Nacional. A partir de 1966, assume a função de ministro-conselheiro na Embaixada Cubana em Paris, cidade onde morre em Abril de 1980.

A sua literatura é frequentemente associada ao realismo fantástico. As suas obras renomadas são A música em Cuba, um estudo sobre as influências afro-europeias na arte musical cubana, e O reino deste mundo, uma recriação incomparável dos acontecimentos que precederam a independência do Haiti, antiga colónia francesa. Estimulado pela prodigiosa história original e valendo-se de um magistral domínio dos recursos narrativos, Carpentier recria nesta obra um mundo exuberante, descomedido e legendário, que foi chamado de real maravilhoso (ou realismo mágico). O autor foi distinguido com o Prémio Cervantes em 1978.

Licenciada em Ciências da Comunicação e em Estudos Portugueses (Universidade Nova de Lisboa) e mestre em Literatura Comparada (Universidade Nova de Lisboa) e Estudos Contemporâneos da América Latina (Universidad Complutense de Madrid), Isabel Araújo Branco é docente na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e prepara o seu doutoramento sobre as relações literárias entre as literaturas hispano-americanas e portuguesa na mesma instituição.

É membro do Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (Universidade Nova de Lisboa) e do projecto Diálogos Ibéricos e Ibero-Americanos (Centro de Estudos Comparatistas, Universidade de Lisboa). Colaborou com a Casa da América Latina nos projectos «A Europa na Literatura Latino-Americana» e «Ciclo Prémios Nobel da Literatura Latino-Americanos».

O ciclo de debates Grandes Escritores - Prémios Cervantes e Camões aborda os três primeiros vencedores hispano-americanos do Prémio Cervantes e os três primeiros vencedores brasileiros do Prémio Camões. Cada conversa, sempre a uma quinta-feira, na Bulhosa de Entrecampos, será orientada por um académico convidado.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.