Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Agosto 18, 2010

Resultados do Passatempo "Imperfeitos"

A Editora Vogais & Companhia escolheu dois vencedores para o passatempo do livro “Imperfeitos”. Muitos parabéns à Cristiana Laranjo de Tourais e ao Vítor Hugo Carvalho Caixeiro de Cuba.

Abaixo os textos vencedores:

Cristiana Laranjo - Tourais

“Um conceito criado pelo homem, para favorecer aqueles que se destacam de acordo com certos padrões.

Antigamente, a beleza estava associada aos factores de saúde e capacidade de reprodução, em que muito provavelmente, mulheres magras eram consideradas doentes, ou menos férteis que uma mulher mais robusta.

Hoje, o conceito de beleza é ditado pelos media, por estilistas que usam modelos ultra-magras, em que a beleza significa usar determinada roupa, considerada “moda”, usar uns quantos produtos de beleza e cosméticos, tentando alcançar a aparência perfeita.

Porque é disso que se trata a beleza, ser perfeito. Pele limpa, sem imperfeições, penteado bonito, corpo sem gordura, estrias, rugas ou qualquer imperfeição visível, e toda uma série de critérios sobre termos uma aparência perfeita.

Será isto benéfico? Esta busca pela perfeição? Não acho. Não são constantes as notícias do número de adolescentes que guiados pelos modelos que vêem nas revistas, passam fome e fazem dietas loucas, fazendo o possível e o impossível para terem um corpo “bonito”? Ou sobre o número maior de pessoas que cada vez mais recorrem a cirurgias plásticas para eliminarem qualquer imperfeição que tenham?

Acho que o conceito de beleza deveria estar ligado à saúde e bem-estar. Não é preciso ser extremamente magro para se ser bonito. Não temos todos características melhores e piores em nós? Porque não podemos realçar aquilo que mais gostamos, sem nos cingirmos àquilo que achamos menos bonito em nós. Se nos preocuparmos mais em sentirmo-nos bem connosco próprios, talvez aí consigamos encontrar a nossa verdadeira beleza e também a dos que nos rodeiam. “

Vítor Hugo Carvalho Caixeiro - Cuba

“Beleza. Uma palavra universal que distingue milhares de pessoas, culturas e mundos. Um argumento que determina quem deve mostrar a cara ao mundo e quem deve permanecer no anonimato. Uma força em constante crescimento até atingir o limiar da perfeição. A beleza, meus amigos, é nada mais, nada menos, que a razão pela qual há tristeza neste mundo. É a culpada por sermos egoístas e traiçoeiros uns para os outros. É culpada por haver vidas solitárias, tristes, e até por haver mortes. Este sim, um conceito apontado a morrer no dicionário. Isto porque a beleza não tem definição. Nem mesmo as mais belas actrizes são perfeitas. A beleza não é física, estética ou moldável. Não é visível aos nossos olhos. Está dentro de nós. É aquilo que formamos numa vida. A bondade, compaixão, respeito e, acima de tudo, o saber amar incondicionalmente. Aí se encontra a verdadeira essência da beleza, e nenhum tipo de maquilhagem ou operação cirúrgica conseguem fazer o que faz o amor, a arma mais poderosa que qualquer pessoa pode ter.  O amor reúne as pessoas por aquilo que elas são. Por isso, beleza só é beleza quando nos sentimos bem com nós próprios. Aí, estaremos prontos a viver a nossa vida com determinação e a felicidade merecida, com confiança e sem receio do que os outros pensem. Ninguém pode ser perfeito num mundo criado pelo homem.”

Agradeço a todos os participantes e, claro, à  Editora Vogais & Companhia por apoiar e tornar possíveis estas iniciativas.

Os vencedores foram contactados por e-mail. Boas leituras!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.