Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Abril 20, 2013

Porto Editora - Literatura - O regresso de MEC

 

Ao contrário da maioria dos acrónimos, MEC não é apenas uma forma de simplificar um nome extenso. MEC é uma marca de significado imenso para uma geração. Anunciar que está de regresso quer dizer que ele, Miguel Esteves Cardoso, volta a publicar de forma regular. Mas, agora, com a Porto Editora, efetivando um nunca consumado e antigo namoro.

A 22 de abril são publicados um novo livro de crónicas, intitulado Como é linda a puta da vida, e ainda quatro novas edições: A causa das coisas, O amor é fodido, Os meus problemas e Explicações de Português explicadas outra vez.

A apresentação oficial dos cinco livros – cujas capas são da autoria do ilustrador portuense Rui Ricardo – vai acontecer a 27 de abril, no âmbito do ciclo literário Porto de Encontro, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, aos Jardins do Palácio de Cristal, no Porto, às 17:00. Em Lisboa, a apresentação acontecerá a 3 de maio, em local a anunciar brevemente.

Abril 20, 2013

O Mercador de Palavras - Orlando Ferreira

 

Um projecto que tem por base o livro O Mercador de Palavras, de Orlando Ferreira, recomendado, pelo segundo ano consecutivo, no Plano Nacional de Leitura, iniciativa pública do governo português para a promoção da leitura.

É a história de uma procura poética ao longo das rotas portuguesas do século XVI, até à sua voz mais distante, o Japão, narrada no encontro entre dois homens de geografia e pensamento opostos, o português João Afonso e o japonês Hiromoto.

Apesar da recomendação como leitura para o 3º Ciclo, a obra tem sido acolhida com entusiasmo por escolas dos mais diversos graus de ensino.

O livro é acompanhado por um CD onde se inclui a leitura dramatizada do texto pelo actor Ruy de Carvalho e um conjunto de informações sobre os Descobrimentos Portugueses, em particular sobre a presença portuguesa no Japão.

A obra foi recentemente integrada no projecto Viagens Literárias, iniciado nos Estados Unidos, que consiste na tradução de textos para o ambiente Google Earth, ampliando a leitura numa dinâmica interactiva de grande interesse e plástica visual.

O Mercador de Palavras integrou o Programa Oficial das Comemorações dos 150 Anos do Tratado de Paz, Amizade e Comércio entre Portugal e o Japão, promovido pela Embaixada do Japão em Portugal, em 2010.

A obra tem ainda prevista uma adaptação dramática, de modo a proporcionar a alunos e professores um encontro entre o texto narrado e o texto encenado.

Em 2007, o autor visitou o Japão, pela primeira vez, integrado no GROUP TOUR PROGRAM FOR SECONDARY SCHOOL EDUCATORS, programa organizado pela Japan Foundation, que reuniu 72 professores de 24 países.

Após a viagem, publicou o livro Itinerários de Espanto – uma viagem por escolas e cidades japonesas, em co-autoria com os professores José Cunha e Paulo Martins, participantes no mesmo programa, com o apoio da Embaixada do Japão, da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo e da Fundação Oriente.

Em Março de 2011, organiza uma visita de estudo a Tóquio com os alunos do Clube de Jornalismo da escola onde ensina, tendo sido surpreendidos pelo grande terramoto de Tohoku.

Contacto do autor ojcf@iol.pt

Abril 18, 2013

Novidade Casa das Letras - A Mulher do Legionário, de Carlos Vale Ferraz

 

Fernanda, filha de Eduardo Lobo, um advogado oposicionista suspeito de ter à sua guarda documentos secretos que incriminariam alguns dos membros mais importantes do regime de Salazar durante a Segunda Guerra Mundial, envolve-se com Augusto Torres, um jovem e ambicioso membro da Legião Portuguesa, que recebeu a missão de descobrir tais documentos.

Eduardo Lobo aparentemente suicida-se, o legionário casa com Fernan­da e os comprometedores papéis não aparecem. Ficarão a pairar ao longo dos anos como uma ameaça sobre vários interesses e ambições. Fernanda revela-se uma mulher fora das leis da sua épo­ca e Augusto um homem capaz de tudo para ascender aos mais altos cargos do regime. Após o casamento, os indícios que foram chegando a Fernanda Torres fizeram com que não conseguisse pen­sar no marido sem ser como o assassino do seu pai. A partir daí, mais do que procurar a verdade, Fernanda quer fazer justiça para lá do tempo, causar-lhe todo o mal possível, vingar-se.

Nas livrarias a 29 de Abril

Abril 18, 2013

Novidade D. Quixote - O Redentor, de Jo Nesbo

 

Oslo. Noite gelada. Quem se deslocou ao centro para as últimas compras de Natal faz uma pausa numa movimentada praça para ouvir o concerto de rua do Exército de Salvação, mas um súbito estrépito cala a música e um homem cai no chão atingido por um tiro à queima-roupa.

O inspector Harry Hole e a sua equipa têm pouco a que se agarrar para iniciar a investigação: não têm qualquer suspeito, não encontram a arma do crime e desconhecem as motivações do criminoso. Mas é quando o assassino percebe que atingiu o homem errado que Harry Hole se começa a deparar com enigmas perturbadores. Depois de um perspicaz trabalho de investigação, a equipa concentra-se num suspeito.

Ferido, sem dinheiro, com seis balas apenas no carregador e sem sítio para dormir numa gelada cidade nórdica, o assassino desespera, mas nada o demove do seu único propósito: eliminar o seu alvo.

Nas livrarias a 29 de Abril

Abril 18, 2013

Novidade D. Quixote - Tieta do Agreste, de Jorge Amado

 

Em Tieta do Agreste, Jorge Amado reafirma a sua paixão pela Baía e pelo seu povo, e apresenta-nos mais uma das suas memoráveis personagens femininas. Tieta, mulher de carácter forte, forjado pela vivência sofrida, volta à terra natal, a cidadezinha de Sant’Ana do Agreste, no interior da Baía, depois de ter passado 25 anos no Sul do país como meretriz.

Relações de poder e corrupção, religiosidade, liberdade sexual, moda e consumo, conflito entre progresso e preservação ambiental são assuntos que, incorporados no enredo do livro, ganham tratamento crítico bem-humorado. Esta combinação faz de Tieta do Agreste uma narrativa experimental e inovadora – uma obra maior que alcançou imenso sucesso na televisão, tanto no Brasil como em Portugal.

Nas livrarias a 29 de Abril

Abril 18, 2013

Novidade D. Quixote - A Imensa Boca dessa Angústia e outras Histórias, de Urbano Tavares Rodrigues

 

Em A Imensa Boca dessa Angústia plasma-se a trágica e convulsa crise que abala o mundo em que vivemos.

Na sua prosa inimitável, ora lírica, ora irónica, ora cáustica, Urbano Tavares Rodrigues analisa a situação actual, por vezes com dureza, mas sempre com o humanismo compassivo que caracteriza a sua escrita e com o halo mágico e fantástico dos seus melhores livros de ficção.

Uma obra que ficará seguramente na memória dos seus leitores.

Nas livrarias a 22 de Abril

Abril 14, 2013

Marginal - Cristina Carvalho - Opinião

 

É difícil ler seja o que for no estado de encantamento em que “Comboio Nocturno para Lisboa” me deixou. Quando uma leitura me marca parece que, mesmo começando outro livro, continuo a flutuar nela.

Incrível como nunca tinha lido um livro da Cristina Carvalho. Tenho vontade de ler mais apesar de não saber se fiz bem em ter começado pelo “Marginal”. Mas a capa encantou-me, desde o primeiro dia que vi que achei sublime, a perspetiva, a cor, acho perfeita e não me canso de olhar. São poucas as capas que me agradam, na sua maioria diminuem os livros e não passam de um “embelezamento” de mau gosto que só dá vontade de esconder. Mas neste caso completam-se, capa e livro, uma peça de arte.

Não tenho a certeza de ter entendido este livro. Não é que a dúvida me desagrade pois gosto de questionar, mas por vezes senti-me perdida nas descrições por não ser uma história linear, e sim uma sucessão de memórias de desabafos na primeira pessoa. Muitas vezes fechava o livro, observava a capa e imaginava a autora a escrever, à janela, a libertar memórias em catadupa. Dela? Que lhe foram contadas? Não sei. Mas tive margem para imaginar, o que é bom.

Revolução e tempos de mudança. A nossa história recente. Detalhes que vestem as personagens de forma única e que, inevitavelmente, me lembram sempre alguém.

Um livro que me permitiu participar criando, enchendo os espaços em aberto com as minhas próprias ideias.

A ler.

Sinopse

“Um dia, quando ela, a minha sogra, se preparava para ir para a praia com o seu belo fato de banho preto com rosas verdes e saiote compreensivo e vestida por cima com um vestido próprio de ir para a praia, calçada com sandálias brancas de salto alto próprias para ir para a praia e um chapéu de pano cheio de flores coladas, também de pano, próprio para ir para a praia e uns grandes óculos escuros, perguntei-lhe:

«Gosta desse seu fato de banho? Gosta mesmo? Da saiazinha a tapar as pernas e o desenho do rabo?»

Ela parou entre portas, tirou os óculos escuros e olhou para mim com o ar mais triste deste mundo e, com a boca praticamente fechada, murmurou qualquer coisa parecida com isto: «Sabes o que é que eu gostava mesmo? Era de me enterrar completamente nua na areia e sentir a areia húmida nas pernas, que me chegasse até às coxas, até às ancas e que eu me deixasse enterrar tanto e tanto e tanto que pudesse desaparecer para nunca mais ser vista…»

Isto disse a minha sogra entre portas. E saiu.

Uma mulher e um achado assombroso que revela instantâneos de uma juventude enterrada na rotina dos dias. Um passado vivido ao longo dessa emblemática estrada que liga a dourada sociedade da Linha de Cascais à cidade de Lisboa. Onde começa a margem e termina o «dever ser» para uma jovem portuguesa, nas décadas de 50 a 70 do século passado? Pode uma dúzia de imagens de um passado rebelde abalar a calma de um presente sem cor? Uma vez mais, a voz literária de Cristina Carvalho arrasta-nos para um território humano que não se rende às conveniências, nem às evidências. Uma voz sempre aberta ao inesperado e que nos surpreende a cada história para a qual nos convida a entrar.”

Planeta, 2013

Abril 10, 2013

Porto Editora - Ficção Estrangeira - A grande referência do policial islandês

 

Arnaldur Indriđason, considerado por Luis Sepúlveda «a grande voz do policial nórdico», publica um novo livro na Porto Editora. Depois de A Voz, chega no dia 15 de abril às livrarias O Mistério do Lago.

Vencedor do Prémio Chave de Vidro, atribuído pela Associação Escandinava do Romance Policial, e do CWA Gold Dagger, o autor tem a sua obra publicada em 26 países e é uma referência dentro da literatura policial negra. O Mistério do Lago é protagonizado pelo inspetor Erlendur, que desta vez investiga um assassinato que envolve membros do ex-bloco soviético.

Abril 10, 2013

Novidade Oficina do Livro - OS ÚLTIMOS PRESOS DO ESTADO NOVO, de Joana Pereira Bastos

 

Depois de uma curta «Primavera Marcelista», o País assistiu a uma escalada da violência contra todos os portugueses que enfrentavam a ditadura. Entre 1973 e 1974, mais de 500 pessoas, pertencentes a vários movimentos políticos e oriundas de diferentes classes sociais, foram presas e violentadas pela PIDE.

No forte de Caxias, muitas eram sujeitas às mais sofisticadas e brutais formas de tortura, ensinadas através de um manual entregue pela CIA à polícia política portuguesa, enquanto lá fora se preparava a revolução de 25 de Abril. 

Sofrendo até ao fim, os últimos presos políticos do Estado Novo só conheceram a liberdade na madrugada de 27 de Abril de 1974 – dois dias depois da revolução que pôs termo a  48 anos de ditadura.

Nas Livrarias a 20 Abril

15,90€