Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Novembro 09, 2012

Novidade Asa (Colecção Vintage) - HISTÓRIA D’O, de Pauline Réage, disponível a 19 de Novembro

A bela e jovem O testa os limites da sua mente e do seu corpo através de uma sexualidade violenta e inquieta neste romance clássico da literatura erótica. Enclausurada no castelo de Roissy, O submete-se a todos os desejos e fantasias do seu amante. A entrega, total, é-lhe escrita na pele, marcada na carne. Um processo de iniciação que vai levá-la mais longe do que alguma vez imaginou: ao lugar onde o prazer máximo pertence ao outro. Considerado um dos mais polémicos romances do século XX, História d’O foi galardoado com o Prix des Deux Magots, em 1955.

Pauline Réage (1907 – 1998) é o pseudónimo de Anne Desclos, jornalista e escritora francesa. História d’O foi publicado originalmente em 1954, causando grande controvérsia e especulação em relação à verdadeira identidade da autora. Na sua génese, está o desafio lançado pelo editor Jean Paulhan, que afirmou não acreditar que uma mulher fosse capaz de escrever um romance erótico. Anne Desclos admitiu a sua autoria apenas quarenta anos após a publicação. História d’O foi adaptado para o cinema em 1975.

 

Inspirada por um conceito intrinsecamente associado a qualidade e singularidade, a Colecção Vintage tem por objectivo reunir obras literárias excepcionais, da autoria de escritores consagrados.

 

Novembro 07, 2012

Novidade Ediresistência - A Procura da Felicidade e outras histórias da era digital, de José Couto Nogueira

É com muito prazer que divulgo o novo livro de José Couto Nogueira - A Procura da Felicidade e outras histórias da era digital. Depois de ler “Táxi” e estar presentemente a ler “Pesquisa Sentimental”, é com muita curiosidade e interesse que aguardo por este novo livro. Posso assegurar o talento do autor pelo que já li, e pela partilha de conhecimentos no Curso de Escrita Criativa, lecionado por ele, a que recentemente tive o prazer de assistir.

O lançamento do livro tem data prevista para 29 de Novembro, pelas 18h30, no El Corte Inglés de Lisboa.

José Couto Nogueira nasceu em Lisboa, em 1945. Estudou economia, viveu uma década em São Paulo e outra em Nova Iorque. Foi fotógrafo, trabalhou em televisão, fez um dos primeiros sites portugueses. Jornalista em publicações tão diferentes como a revista Exame e o jornal Independente. Manteve uma coluna de ética no jornal "i". Tem três romances publicados: Táxi (2000), Vista da Praia (2003) e Pesquisa Sentimental (2009), pela Dom Quixote. A Procura da Felicidade e outras histórias da era digital (2012), publicado na Ediresistência, é o seu primeiro livro de contos.

Novembro 06, 2012

Apresentação do romance "Novembro" de Jaime Nogueira Pinto. Dia 8 de Novembro, 18h30, no café Império. A obra será apresentada por Vasco Graça Moura

Conheça o primeiro romance de Jaime Nogueira Pinto. Uma obra construída a partir da experiencia vivida e da história por contar dos que resistiram à história. É em Novembro que acabam o Império e a Revolução e com eles os sonhos dos que, em lados opostos, jogaram tudo por um destino e por um país diferente. 

 

Novembro 06, 2012

Paulo Castilho distinguido com o Prémio Fernando Namora

O romance Domínio Público, publicado em Junho de 2011 pela Dom Quixote, valeu ao escritor Paulo Castilho o Prémio Fernando Namora. O júri, presidido por Vasco Graça Moura, salientou "a maneira lúcida quanto irónica como o autor caracteriza as personagens", ressalvando "a surpreendente narrativa como analisa as relações entre as personagens na sociedade portuguesa".

O Prémio Fernando Namora, no valor de 25 mil euros, foi atribuído a Paulo Castilho por maioria e será entregue em data a anunciar.

Em Domínio Público há um olhar irónico e inteligente sobre a sociedade em crise. Uma história divertida, cheia de diálogos animados sobre a actual situação portuguesa e que se passa entre Lisboa, o Alentejo e o Douro, entre gente da classe média com ou menos recursos económicos. Uma sátira aos tempos que vivemos protagonizada por mulheres jovens, com os seus dramas: carreira profissional, casamentos falhados, ligações esporádicas e todas as suas dúvidas, certezas e incoerências.

Paulo Castilho nasceu em 1944, filho do diplomata e ensaísta Guilherme de Castilho e da escritora Marta de Lima. Fez os estudos primários e secundários na África do Sul, Hong Kong, Macau e Lisboa. Licenciado em Direito, diplomata de carreira, ocupou postos em Washington e Londres, exerceu o cargo de director-geral das Comunidades Europeias e, posteriormente, os cargos de embaixador de Portugal na Suécia, no Conselho da Europa e na Irlanda.

Com o seu livro de estreia, O Outro Lado do Espelho, publicado na década de 80, recebeu o Prémio Literário Diário de Notícias. Neste livro revela já o estilo que caracterizará toda a sua obra literária: directo e objectivo, com frases curtas e muito próximo do registo cinematográfico. Em 1989, com o romance Fora de Horas, recentemente reeditado pela Dom Quixote, revelou-se como uma das vozes mais singulares da ficção portuguesa actual, o que foi reconhecido ao serem-lhe atribuídos os mais importantes prémios literários - Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores, Prémio do Pen Club Português e Prémio Eça de Queiroz.

É ainda autor dos romances Sinais Exteriores (1993), Parte Incerta (1997), Por Outras Palavras (2000) e Letra e Música (2008).

Novembro 04, 2012

Dama de Espadas, Cónica dos Loucos Amantes - Mário Zambujal - Opinião

Um dia de chuva e um bom livro acabadinho de comprar. Primeira vez que leio Mário Zambujal e o balanço é muito positivo, um dia perfeito de leitura. Chuva lá fora e um livro interessante, divertido, espirituoso até, e muito bem escrito. Fica a enorme vontade de conhecer toda a obra do autor.

“Dama de Espadas” é uma intriga romântica cheia de desencontros, um policial inspirado, uma comédia de costumes, uma narrativa agradavelmente previsível mas com um final inesperado. Surpreendeu-me até na forma como facilmente previ o que iria acontecer a seguir, pelo humor inteligente e pela habilidade em manter o interesse na leitura. O final, completamente imprevisível, para surpreender o leitor que, como eu, se convence que já sabe a história toda.

No centro do enredo está Filipe, jovem de paixões avassaladoras que passa anos a suspirar por Eva Teresa. Namorou com a irmã desta, Rosália, deixou que Eva casasse com outro, teve ele próprio uma relação duradoura com Graziela, mas sempre a suspirar por Eva; sempre a sonhar e a preparar o dia que finalmente ficariam juntos. Persistente e resiliente, Filipe tem o dom de se meter nas mais estranhas confusões. Determinado mas azarado, os acontecimentos da sua vida conspiram no sentido contrário aos seus desejos. De um modo surreal a sua vida profissional vai-se transformando de uma forma que o aproxima do objeto do seu desejo: Eva.

Escrito de forma inspirada e inspiradora, desde a utilização de palavras próprias à construção geral na narrativa, Mário Zambujal surpreendeu-me pela descrição de uma história simples enriquecida pela maneira como é contada. E claro, com um sentido de humor muito particular.

No mínimo genial! Altamente recomendado!

“A cama é a mais amável das peças de mobiliário, mesmo quando serve apenas para dormir. Todavia, o que torna as camas famosas é um historial de gente acordada."
“As paixões arrebatadoras são como o vinho das melhores castas: primeiro alegram, depois embriagam, um dia azedam.”

Sinopse

“Com o seu admirável ritmo narrativo e clareza de escrita salpicada de humor, Mário Zambujal apresenta-nos Eva Teresa, garota de onze anos, e Filipe, rapaz de dezoito, que namora com a irmã, Rosália. Há uma grande empatia entre a pequena e o futuro cunhado, mas a vida afasta-os com a viagem da família para o Brasil. Eva torna-se mulher e Filipe acaba por se apaixonar por ela, levando-o a viajar ao seu encontro. Entre episódios imprevisíveis que enlaçam mistério e comicidade, ambos só se reencontram em Sintra onde iniciam um romance atribulado. 
No seu estilo inconfundível, Mário Zambujal traz-nos uma obra em que se aliam a vontade de saborear cada passo da trama e o prazer da leitura.”

Clube do Autor, 2010