Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Novembro 21, 2012

Lançamento do livro "A Procura da Felicidade e outras Histórias da Era Digital" de José Couto Nogueira" é já no dia 29 de Novembro

Quatro contos passados no futuro próximo, uma época em que a tecnologia avançou mais um bocadinho, mas as pessoas continuam iguais a antigamente, pois a evolução científica não foi acompanhada por uma melhor compreensão dos sentimentos humanos.

No primeiro conto, "A procura da felicidade", um homem que ainda pensa como os homens de antigamente, deixa-se arrastar numa viagem frenética à procura do amor - e acaba por encontrar um substituto onde menos espera.

Em "O caso Santini" um advogado formal passa por uma transformação de personalidade, adquire novos conhecimentos através de um episódio do arco da velha e está apostado em mudar o mundo.

"Uma relação" narra a intimidade de um casal imerso numa tecnologia que se tornou trivial e doméstica, sem se aperceber do mecanismo inexorável que os afasta cada vez mais.

Já o casal de "O apelo da natureza" sente uma grande vontade de voltar para a experiência campestre que crê ter existido no passado, mas os seus sonhos estão contaminados pela vida urbana.

JOSÉ COUTO NOGUEIRA

Nasceu em Lisboa, em 1945. estudou economia, mas a sua primeira profissão foi de fotógrafo.

Viveu uma década em S. Paulo e outra em Nova Iorque. Teve um programa na televisão, fez um dos primeiros sites portugueses.

Jornalista em publicações tão diferentes como a revista EXAME e o jornal O INDEPENDENTE.

Manteve uma coluna de ética no jornal "I".

Tem três livros publicados: TAXI (2000), VISTA DA PRAIA (2003) e PESQUISA SENTIMENTAL (2009), pela DOM QUIXOTE.

Este " A PROCURA DA FELICIDADE" é o seu primeiro livro de contos.

 

O lançamento do livro tem data marcada para 29 de Novembro às 18h30, no El corte Inglés de Lisboa.

 

Veja aqui o vídeo onde o autor revela um pouco sobre o livro.

Novembro 20, 2012

Lançamento do livro "Camarate - Sá Carneiro e as Armas para o Irão", de Frederico Duarte Carvalho

Terá lugar no próximo dia 23 de Novembro, sexta-feira, pelas 18.30h, no El Corte Inglès, em Lisboa, o lançamento do livro «Camarate - Sá Carneiro e as Armas para o Irão», de Frederico Duarte Carvalho.
Esta apresentação conta com a participação de Jim Hunt, sobrinho de Frank Sturgis, assassino a soldo americano, alegadamente envolvido no atentado.
A verdade sobre Camarate, 32 anos depois, interessa hoje mais do que nunca.

Novembro 19, 2012

Elogio da Madrasta - Mario Vargas Llosa - Opinião

Não decido ler um livro por ter ou não ganho prémios. Até porque o processo de decisão da atribuição de prémios é bastante subjetivo. Já li livros de autores que ganharam o Prémio Nobel e não me identifiquei minimamente, não entendi que motivos tiveram para tal destaque. Não podemos gostar todos do mesmo, e como a atribuição de prémios literários não depende de mim, limito-me a ler o que gosto. E gosto de Mario Vargas Llosa. Gosto muito.

Gosto das descrições, da forma sublime como constrói frases tão belas, como conjuga palavras simples que se transformam em perfeição. Só li dois livros dele mas estou tão certa de que todos os outros me vão agradar, que desejo começar já outro livro e descobrir a beleza da sua escrita por toda a sua obra.

Estou encantada. De verdade. Maravilhada com uma narrativa tão simples e ao mesmo tempo intricada de detalhes deliciosos. Erotismo. Muito erotismo. Numa altura em qua anda tudo a ler livros sexualmente explícitos como se não houvesse amanhã, eu decidi-me a ler algo “erótico-literariamente” perfeito. Não devo maldizer livros que não li, mas desconfio de tanto romance sensual, sexual, hard-core, sadomasoquista, erótico e outros que tais que parecem estar a levar todos (principalmente mulheres) à loucura. À loucura de ler lixo.

Bom, eu recomendo o “Elogio da Madrasta” para quem se quiser divertir e brincar, mas acima de tudo imaginar, pois que um livro bem escrito dá essa margem ao leitor, dá espaço criativo para trabalhar na mente o que lê. Colocar ou não em prática já é da decisão de cada um…mas há pormenores deliciosos nas cenas de alcova entre D. Rigoberto e a sua D. Lucrécia. Há tentações, como o pequeno Fonchito, enteado ingénuo de Lucrécia que nutre pela madrasta um carinho que a entusiasma, até demais, criando um triângulo amoroso familiar estranho e talvez doentio.

E como nem tudo é o que parece, não se é tão ingénuo como Fonchito e todos os atos acabam por ter um objetivo. Assim é a natureza humana, desonesta e calculista. Um triângulo é um triângulo e mesmo com a saída de um elemento assim continuará a ser. Curiosos? Intrigados? Então há que ler…

Imperdíveis as magníficas sagas das abluções noturnas de D. Rigoberto, as suas preparações do corpo param o prazer marital. Cada dia da semana dedicado a uma zona do corpo, toda a atenção e deleite nos preparativos da descoberta dos detalhes mais íntimos do corpo da esposa. Entregue aos seus devaneios enquanto trata do nariz, dos dentes ou das axilas, deixava-se levar, ainda na casa de banho por pensamentos libidinosos que contrariava com determinação e graça, para se reservar por inteiro para o momento certo. Simplesmente brilhante.

Em alguns capítulos o autor descreve imagens de quadros que, imagino, sejam da sua preferência. Adapta as obras de arte ao “Elogio da Madrasta”, tece considerações e enredos interessantes. Em resumo, o puro prazer de ler.

Sinopse

“Lucrécia e dom Rigoberto vivem em constante felicidade. Ela, uma mulher que acaba de completar 40 anos, nada perdeu da sua elegância e sensualidade; ele, no segundo casamento, descobriu por fim os prazeres da vida conjugal. Juntos, crêem que nada pode afetar esse idílio, cheio de fantasias e de sexo. Alfonso, ou Fonchito, filho de dom Rigoberto, parece ser o único empecilho; ama demais sua mãe, Eloísa, para aceitar a chegada de uma madrasta. Mas até ele acaba por ser conquistado pelos encantos de dona Lucrécia. O amor do menino pela sua madrasta, entretanto, vai muito além do que se esperaria de uma criança, desenhando uma linha ténue entre a paixão e a inocência que mudará o destino de cada um deles. Elogio da Madrasta é a história de um universo dominado por um triângulo inquietante, que pouco a pouco envolve os leitores na rede de subtil perversidade que une, na plena satisfação dos seus desejos, a sensual Lucrécia, Rigoberto e o filho.”

D.Quixote, 2012

Novembro 18, 2012

O Vendedor de Histórias - Jostein Gaarder - Opinião

Há livros que nos tocam de uma forma especial. Apesar de “O Mundo de Sofia” ser o livro mais bem sucedido de Jostein Gaarder eu nunca o li. “O Vendedor de Histórias” é a minha primeira leitura da obra do autor.

Esta experiência foi extremamente positiva. Absorvente e intenso, adorei entrar no mundo de Petter, a Aranha, e conhecer esta personagem fascinante, por vezes doentia, outras vezes de uma lucidez admirável. Um livro que é como um jogo, uma vida surpreendente em que os factos se sucedem, se vão sobrepondo e encaixando. De forma inteligente.

A narrativa começa num ponto em que Petter está em fuga da sua própria história. Não sabe exatamente os perigos que corre mas receia o que de mal lhe possa suceder. É nesta altura que revê e analisa toda a sua vida, desde a infância, onde já demonstrava um nível cultural muito acima da média, uma capacidade criativa surpreendente, e uma bagagem de conhecimentos muito superior à dos próprios professores, cujos ensinamentos frequentemente colocava em causa. Filho de pais divorciados, teve uma relação muito próxima da mãe que lhe proporcionava atividades eruditas pouco comuns para uma criança, como a Ópera. Após estes eventos mãe e filho tinham o hábito de dissertar e desenvolver ideias sobre o que tais experiências os faziam sentir.

Petter vive num processo criativo constante, a sua mente inventa enredos a tempo inteiro, por vezes uma meia dúzia de histórias ao mesmo tempo. Intriga, mistério, policial, romance, uma capacidade que vai aproveitar de uma forma muito particular. Um solitário que vai guardando histórias que serão a base para a sua futura “atividade profissional”.

Estranhamente, este privilegiado do talento e da inspiração não quer escrever o seu próprio livro, mas consegue enriquecer a vender a sua arte a aspirantes a escritores com défice de capacidades. Seleciona-os como o fazia nos tempos de escola, em que já fazia os trabalhos para os seus colegas menos capazes; avalia um conto ou uma história à medida da capacidade do “cliente”. Inteligente e calculista, Petter cria o seu império de ficção, mas a pouco e pouco, vamos percebendo a origem da sua negação em escrever para e por si, e a razão de conviver ao longo dos anos com um “amigo” imaginário que mais ninguém vê.

Cria uma verdadeira empresa para toda a espécie de aspirantes a terem uma carreira na área da escrita. Mesmo para os que acabam por concluir que esse não é o seu futuro, ou tinham de ser persuadidos a isso. Petter é quase um psicólogo, ao mesmo tempo que orienta e ensina é persuasivo e manipulador.

A “empresa” está em marcha, internacionaliza-se e Petter torna-se francamente rico. Além da venda das suas ideias, começa a exigir uma percentagem nos futuros direitos de autor. Ser conhecido é vantajoso para o negócio mas pode deitar tudo a perder se não se souber salvaguardar - o sigilo é fundamental.

A vida de Petter são as histórias que inventa, algumas delas partilhadas ao longo da narrativa. Menos fictícias do que aquilo que se podia pensar, com o tempo percebi que este homem solitário conta as histórias do que viveu, vende contos da sua vida, entrega de forma criativa episódios reais, muito pessoais, e é na sua própria teia que se vai enredar. Desde o amor maternal, à paixão da juventude, é no final que percebe que a aranha se perdeu e não se libertará mais.

Profundamente inspirador e assustadoramente inteligente este é um romance que vou guardar como um dos melhores de sempre.

Sinopse

“O Vendedor de Histórias é uma viagem apaixonante ao mundo dos que aspiram uma carreira literária sem terem capacidade para serem bem sucedidos. A falta de criatividade leva-os a Petter, conhecido como "A Aranha", que dotado de uma imaginação ilimitada escreve por eles a história que tanto anseiam. Ideias geniais "emprestadas" a outros que lhe permitiam viver de um negócio lucrativo durante muitos anos. O que Petter desconhece é que a sua escrita se tornou num ícone e que a sua verdadeira identidade irá ser descoberta na Feira Internacional de Literatura Infantil e Juvenil de Bolonha. A sua vida ficará em perigo, ameaçada por escritores sem inspiração que vivem falsas carreiras literárias.”

Presença, 2003

Novembro 18, 2012

TOPSELLER: "Perseguição Escaldante" - Um policial único da autora mais bem sucedida atualmente

Em New Jersey, os cadáveres surgem em catadupa. Ninguém sabe quem é o assassino em série nem o motivo por que anda a matar, mas o nome de Stephanie Plum, a caçadora de recompensas, está na lista do homicida.

Stephanie corre contra o tempo para descobrir o que se passa, mas ainda tem de enfrentar outras complicações na sua vida. A sua família e amigos insistem que chegou o momento de escolher entre o seu eterno namorado, o detetive Joe Morelli, e o rebelde mas sedutor Ranger, dono de uma empresa de segurança. E a sua mãe está apostada em juntá-la com Dave, uma ex-estrela do futebol americano, antigo colega do secundário, entretanto regressado à cidade.

Com um assassino implacável no seu encalço, um punhado de homens sedutores e fogosos atrás de si, e assombrada por uma lista de faltosos a tribunal que incluem um urso bailarino e um vampiro de idade já avançada,

a vida de Stephanie parece prestes a entrar em brasa. Perseguição Escaldante é um policial divertido e autêntico, que vai arrancar muitas e muitas gargalhadas. É um novo estilo de policial, repleto de personagens únicas e inesquecíveis, que em muitos países já criou uma

legião de fãs eternamente ansiosos pelo lançamento do próximo êxito da autora.

«As personagens de Janet Evanovich são obras de arte divertidas e modernas… As intrigas complexas e cómicas das suas personagens são alimentadas por reviravoltas absolutamente inventivas e inovadoras.» The New York Times

«Recheados de audácia, humor e pura criatividade, os livros de Janet Evanovich, em particular a série Stephanie Plum, são realmente divertidos!» The Washington Post

Novembro 18, 2012

TOPSELLER: A criatividade ao serviço dos livros

Topseller é a nova chancela da 20|20 Editora dedicada a livros de ficção de qualidade para o grande público – adulto e jovem adulto.

Chancela exclusiva dos títulos de James Patterson, o autor #1 absoluto em todo o mundo (fonte: revista Forbes em 2011), e de Janet Evanovich, #3 absoluto em todo o mundo, e #1 feminino.

É garantia de comunicação arrojada e original, potenciadora da notoriedade dos seus autores.

 

Um policial alucinante e poderoso, do autor que mais vezes alcançou o n.º 1 do New York Times. Alex Cross era uma estrela em ascensão na Polícia de Washington DC quando um desconhecido assassina a sua mulher, Maria, à sua frente.

Anos mais tarde, Alex deixa as forças de segurança e regressa à carreira de psicólogo, revelando-se um bem-sucedido escritor de livros policiais. A vida com a sua avó, Nana Mama, e os filhos Damon, Jannie e o pequeno Alex parece correr na perfeição, e o detetive admite mesmo viver um novo amor.

É nesta fase que John Sampson, o seu antigo parceiro na Polícia, lhe pede ajuda para capturar um perigoso criminoso. Cross regressa então à ação, sem saber que se prepara para enfrentar o assassino da sua própria mulher. Tem início a busca pelo homicida mais astuto e psicótico que jamais enfrentou, que o vai empurrar perigosamente para o ponto de rutura.

PRIMEIRO DE UMA COLEÇÃO COM 18 VOLUMES PUBLICADOS ATÉ AO MOMENTO.


ALERTA! Um grupo de seis jovens com poderes extraordinários está em FUGA. O seu líder é Maximum Ride, ou Max.

Retirados dos seus pais à nascença, os seis estavam presos num laboratório secreto, onde foram alterados geneticamente para se tornarem 98% humanos e 2% pássaros.

Agora eles conseguem voar e escaparam da sua prisão. Mas desconhecem as razões para tudo o que lhes foi feito, e não sabem quanto tempo de vida lhes resta. No seu encalce estão os Erasers, seres diabólicos criados no mesmo laboratório, que apanham Angel, a miúda mais nova e especial do grupo de Max.

Conseguirá Max resgatar Angel e descobrir a verdade sobre si e os seus amigos?

PRIMEIRO DE UMA COLEÇÃO DE OITO VOLUMES.

Novembro 16, 2012

O Seminarista - Rubem Fonseca - Opinião

Surpreendente. Absolutamente surpreendente. Um livro que “saltou” da estante e foi lido em apenas algumas horas.

Ironia, sarcasmo e um humor muito particular proporcionam uma leitura diferente, interessante e bastante envolvente.

O insólito ganha forma na vida de um ex-seminarista que se torna um assassino por encomenda. Com uma cultura acima da média, proporcionada pelos estudos, uma grande paixão pelos livros e um vício de se exprimir constantemente em latim, esta personagem, que a partir de certa altura passa a chamar-se Zé, vive as mais estranhas experiências no seu dia-a-dia muito pouco rotineiro. Ao mesmo tempo que demonstra o seu eruditismo, usa e abusa dos palavrões e do calão.

Matar por encomenda, com frieza e distanciamento, é algo que faz bem; é conhecido pelo “especialista” por não falhar e fazer um trabalho limpo.

Um dia, estranhamente, decide mudar de vida e deixar o mundo do crime. Chega mesmo a apaixonar-se, abandonando completamente uma vida de encontros sexuais casuais, decidindo retirar-se e dedicar-se às coisas que passam a ser para ele as mais importantes da vida.

No entanto o seu passado pouco convencional não o liberta. Numa fase de mudança vem à tona um esquema por resolver que põe em risco os seus projetos de felicidade. Tudo se complica, relaciona e interliga; um enredo surreal mas muito criativo. A descoberta do amor e da dor.

Muito realismo, sangue e excentricidade compõem um leque de surpresas que não me permitiram parar de virar páginas.

O livro está escrito em português do Brasil, apesar de se tratar de uma edição portuguesa. Primeiro estranhei mas depois acabou por me agradar; por ser uma experiência diferente e dar um ambiente de favela à coisa. Divertida é a mistura de expressões portuguesas com o sotaque brasileiro, dado que este polivalente Zé descende de portugueses, já desde El-Rei D. Sebastião (diz ele).

Um livro único que me deixou com muita vontade de conhecer a restante obra do autor.

“D. Sebastião tinha 26 anos, era um sonhador. Antes de embarcar na frota de milhares de caravelas portuguesas rumo ao Marrocos, no navio do meu tatá, D. Sebastião. O Desejado, muniu-se da espada de D. Afonso Henriques que mandara pedir à Santa Cruz de Coimbra e de uma coroa de ouro que devia colocar na cabeça quando se proclamasse imperador de Marrocos. Todo mundo sabe a merda que deu.” (Pág. 27)

“Agora todo o sujeito que aparece morto a polícia suspeita de mim? Porra, seria engraçado se não fosse tão chato.” (Pág.120)

Sinopse

“Para o protagonista de O seminarista, matar não causa remorso, mas também não causa prazer. É apenas o seu trabalho, que lhe permite dedicar-se àquilo que realmente ama: livros, filmes e mulheres. Quando decide que já é hora de abandonar a profissão, descobre que não é tão imune aos efeitos dos seus trabalhos e das suas escolhas como acredita ser…”

Sextante Editora, 2011

Novembro 16, 2012

Novidade D. Quixote - O Quarteto de Alexandria, de Lawrence Durrell, disponível a 19 de Novembro

Pela primeira vez em Portugal, a edição reunida e revista pelo autor, em 1962, dos quatro livros que compõem O Quarteto de Alexandria – Justine, Balthazar, Mountolive e Clea. Os quatro romances exploram a sociedade daquela cidade poliglota e cosmopolita, repleta de intrigas, mistério e sensualidade, retomando genericamente uma mesma história sob diferentes pontos de vista, acrescentando e refazendo pormenores e situações.

Novembro 16, 2012

Porto de Encontro - Hoje, o aniversário. No dia 24, a homenagem

Assinalam-se hoje os 90 anos sobre o nascimento de José Saramago. No dia 24 de novembro, realiza-se a grande homenagem ao Prémio Nobel da Literatura – no Porto, na Casa da Música (Sala Suggia), às 21:30.

A 12.ª edição do “Porto de Encontro” contará como as participações de Pilar del Río, Álvaro Siza Vieira, Mário Cláudio, Pedro Abrunhosa e Valter Hugo Mãe. Haverá leituras e performances de convidados especiais.

Os bilhetes de acesso ao “Porto de Encontro” são gratuitos e estarão disponíveis para levantamento na Casa da Música a partir de dia 22 (máximo: 10 por pessoa).