Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

planetamarcia

planetamarcia

Novembro 19, 2011

Civilização lança 'Minha Querida, Queria Dizer-te' de Louisa Young

 

Tendo como pano de fundo a I Guerra Mundial e as suas consequências, tanto para os que vão para a frente de batalha como para os familiares que ficam para trás à espera de notícias, o quarto romance (de onze livros publicados) de Louisa Young chega a Portugal com críticas muito positivas na imprensa internacional. “De qualidade excecional”, garante a Publishers Weekly. “Um romance memorável e invulgar que explora novos caminhos na literatura da Grande Guerra”, acrescenta a escritora Linda Grant. “Este romance é um triunfo”, conclui a também escritora Elizabeth Jane Howard.

Louisa Young estudou História na Universidade de Cambridge. Minha Querida, Queria Dizer-te é o seu décimo primeiro livro. Vive em Londres com a filha, com quem escreveu a famosa trilogia Lionboy, e o compositor Robert Lockhart.

SINOPSE

As vidas de dois casais muito diferentes estão irrevogavelmente entrelaçadas e são alteradas para sempre neste impressionante épico sobre amor e guerra. Riley Purefoy alista-se no exército durante a I Guerra Mundial para se ver no meio do pesadelo das transformações do século XX. Enquanto Riley e o seu comandante, Peter Locke, lutam pelo seu país e pela própria vida nas trincheiras da Flandres, a adorável e ingénua mulher de Peter, Julia, e Rose, prima dele, aguardam ansiosamente o seu regresso. Mas o homem taciturno e distante que regressa a casa de licença não é o Peter que conheciam.

Com apenas 18 anos quando a guerra começa, Nadine e Riley querem fazer promessas um ao outro – mas como podem fazê-lo se o futuro não está nas suas mãos? A paixão da juventude está do seu lado, mas a sua lealdade é posta à prova por um terrível ferimento e pela reabilitação necessariamente imperfeita que se segue.

Situado em Ypres, em Londres e em Paris, este romance emocionalmente rico e evocativo é uma poderosa exploração dos efeitos perenes da guerra sobre os que combatem – e os que não combatem – e um testemunho pungente do poder do amor duradouro.

Título: Minha Querida, Queria Dizer-te

Autora: Louisa Young

Título original: My Dear I Wanted to Tell You

Tradução: Isabel Baptista

Páginas: 368

Encadernação: Capa mole

Família: Literatura

PVP: 17,90€

Lançamento: Novembro de 2011

Novembro 19, 2011

'Antes de Adormecer' de S. J. Watson acrescenta agora um Dagger Award

 

O empolgante romance de estreia de Steve Watson, e uma das apostas editoriais da Civilização em 2011, não pára de acumular prémios. Menos de seis meses após a sua publicação em Portugal e após conquistar um Galaxy National Book Award na categoria Crime & Thriller Novel of the Year, Antes de Adormecer acumula agora o 2011 CWA John Creasey (New Blood) Dagger.

“Surpreendido e encantado”. Foi esta a reação de S. J. Watson após o anúncio do prémio, a 7 de Outubro, que acrescentou: “é uma honra ser finalista, mas ganhar mesmo, em especial quando se está a concorrer com livros tão extraordinários, é incrível. Assim que foi lançado nos EUA e no Reino Unido, atingiu logo os primeiros lugares dos tops de referência – onde se manteve várias semanas. Editado em Portugal, em junho passado, foi igualmente um sucesso absoluto de vendas, atingindo o 1.º lugar na WOOK, o 7.º na Bulhosa e o 9.º na Bertrand.

Antes de Adormecer é uma emocionante e poderosa história sobre uma mulher que sofre de uma perda de memória de curto prazo e que, todas as manhãs, durante vinte anos, acorda sem saber quem é. As críticas a S. J. Watson não podiam ser mais estimulantes. Brilhante, excepcional e perturbador. São estes os adjetivos mais utilizados para descrever aquele que é o seu romance de estreia.

“Um dos autores mais aclamados do ano. O seu romance tem sido recebido com inúmeros elogios... É um romance que aborda os grandes temas – a vida, o amor, a perda – mas é também uma obra literária de qualidade e de leitura compulsiva”, assegura o The Sunday Times. Para o The Guardian, “a estrutura é tão assombrosa que quase nos esquecemos da qualidade da escrita”.

Novembro 19, 2011

Novidade Oficina do Livro: O ESPIÃO ALEMÃO EM GOA, de José António Barreiros

 

Março de 1943. Em plena II Guerra Mundial, um comando secreto britânico ataca vários mercantes alemães e italianos em águas portuguesas na Índia. Uma história de intriga, propaganda e espionagem que fez Salazar estremecer.

Sobre o Livro

Os factos são reais. No Carnaval de 1943 três navios alemães e um italiano, todos civis, foram incendiados e afundados, pelos próprios tripulantes, no porto de Mormugão, no então Estado Português da Índia. Resistiam assim a um ataque do SOE britânico, o serviço de operações especiais encarregue da “guerra não cavalheiresca”. Para proteger os interesses aliados, as autoridades portuguesas condenaram judicialmente os tripulantes, dando como não provado que tivessem resistido a uma tentativa de apresamento, com violação da nossa neutralidade. Ao erro judiciário seguiu-se a propaganda: para os britânicos, o fiasco da expedição foi convertido em vitória. Só os portugueses saíram mal do incidente. Salazar teve de intervir junto do poder judicial e o silêncio caiu sobre a história. Este livro tenta repor a verdade, para além das conveniências.

Sobre os Autores

José António Barreiros é advogado. Tem-se dedicado à escrita jurídica e ao ensaio histórico, como a apresentação de O Príncipe de Maquiavel e nomeadamente no sector dos estudos sobre a guerra secreta em Portugal nos anos 1939-1945. Publicou os livros A Lusitânia dos Espiões, colectânea de artigos; O Homem das Cartas de Londres, biografia de Rogério de Menezes, agente do Eixo; Uma Agente Dupla em Lisboa, biografia de Nathalie Sergueiew, do XX Committee; O 13º Passageiro, sobre a fatídica viagem do actor Leslie Howard a Lisboa e Traição a Salazar, sobre actuação do SOE em Portugal. Traduziu e prefaciou a narrativa histórica Eu roubei o Santa Maria de Jorge Soutomaior. Na área da ficção, é autor de Contos do Desaforo e do romance Não se Brinca com Facas.

PVP 13,90 eur

192 págs

Novembro 19, 2011

Hugo Girão - OS MENINOS DO VENTO - LANÇAMENTO

 

 "Um dia, há muito, muito tempo, quando o Céu e a Terra eram ainda muito jovens e tudo era mais escuro do que agora, nasceram a Lua e o Sol. Os dois, como se de um milagre se tratasse, saíram da barriga do Céu ao mesmo tempo, mas inexplicavelmente, foram imediatamente separados…"

Assim começa a encantadora história dos Meninos do Vento, que nos vão contar um segredo… Queres descobri-lo? Então anda, vem dai, só precisas de me folhear…

Actualmente a residir em Espanha, Hugo Girão, filho do célebre músico Fernando Girão, cada vez mais se assume como uma revelação no panorama literário nacional.

Com três livros publicados, dois deles pela Fronteira do Caos, o autor consegue cativar o leitor recorrendo a um discurso extremamente humano e envolvente. Em Os Meninos do Vento, cuja fonte de inspiração bebe dos seus filhos e da sua mulher e, cuja génese nasceu da vontade interior de ajudar os mais desfavorecidos, Hugo Girão conta-nos uma história encantadora susceptível de cativar o leitor da primeira à última página, num livro solidário cujas receitas reverterão a favor da Associação Bipp que, desde os seus inícios, pretende ser uma referência no apoio às famílias com crianças com necessidades especiais, promovendo e implementando novas respostas e caminhos que visem a sua plena inclusão e participação na sociedade.

Os seus livros de ficção primeiro romance, O Silêncio das Almas, escrito em co-autoria, e O Silêncio dos teus Olhos tiveram uma aceitação muito boa por parte do público leitor, facto esse que deixa antever a futura dimensão deste jovem escritor.

Lançamento do livro Os Meninos do Vento

No dia 22 de Novembro, terça-feira, às 16h30, vai realizar-se, na Feira de Natal do BIPP, no Fórum Picoas (Edifício PT), em Lisboa, o lançamento do livro Os Meninos do Vento, de Hugo Girão, cujo valor vai reverter a favor do BIPP. Filho do célebre músico Fernando Girão, este autor português assume-se cada vez mais como uma revelação no panorama literário nacional. Os Meninos do Vento é um livro deslumbrante, repleto de sonho e de magia para ser lido às crianças, recuperando a boa e velha tradição dos pais e avós que contavam histórias de embalar aos filhos e netos.

Novembro 19, 2011

Maria João Lopo de Carvalho dá autógrafos na Bulhosa de Oeiras

 

A escritora e professora universitária de português, Maria João Lopo de Carvalho, vai estar na Bulhosa de Oeiras, hoje, sábado, 19 de Novembro, às 11h30, para uma sessão de autógrafos a propósito do seu novo livro, Marquesa de Alorna, um romance histórico com a chancela da Oficina do Livro dedicado a esta figura incontornável do Portugal dos séculos XVIII e XIX.

Maria João Lopo de Carvalho nasceu em 1962 e licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Nova de Lisboa. Professora de Português e de Inglês no ensino público e privado, representante em Portugal dos colégios ingleses Pilgrims, fundou e dirigiu a Know How, Sociedade de Ensino de Línguas e a Know How, Edições Produções e Publicidade destinada à tradução e à criação de livros personalizados para crianças e à conceção anual do Guia da Criança. Publicou o primeiro romance, o best-seller Virada do Avesso, em 2000 e Acidentes de Percurso, em 2001.

Título: Marquesa de Alorna

Autor: Maria João Lopo Carvalho

 Páginas: 688

Editora: Oficina do Livro

PVP: 19,90€

SINOPSE

Leonor, Alcipe, condessa d’Oeynhausen, marquesa de Alorna - nomes de uma mulher única e invulgarmente plural. Chamei-lhe Senhora do Mundo. Poderia ter-lhe chamado senhora dos mundos. Dos muitos mundos de que se fez senhora. Inconfundível entre as elites europeias pela sua personalidade forte e enorme devoção à cultura, desconcertou e deslumbrou o Portugal do séc. XVIII e XIX, onde ser mãe de oito filhos, católica, poetisa, política, instruída, inteligente e sedutora era uma absoluta raridade.

Viveu uma vida intensa e dramática, mas jamais sucumbiu. Privou com reis e imperadores, filósofos e poetas, influenciou políticas, conheceu paixões ardentes, experimentou a opulência e a pobreza, a veneração e o exílio. Viu Lisboa e a infância desmoronarem-se no terramoto de 1755, passou dezoito anos atrás das grades de um convento por ordem do Marquês de Pombal e repartiu a vida, a curiosidade e os afectos por Lisboa, Porto, Paris, Viena, Avinhão, Marselha, Madrid e Londres.

Marquesa de Alorna, Senhora do Mundo é uma história de amor à Liberdade e de amor a Portugal. A história de uma mulher apaixonada, rebelde, determinada e sonhadora que nunca desistiu de tentar ganhar asas em céus improváveis, como a estrela que, em pequena, via cruzar a noite.

Novembro 18, 2011

Grupo Porto Editora promove ciclo de conversas com escritores. O primeiro convidado é Gonçalo M. Tavares.

 

No próximo dia 19 de novembro, sábado, pelas 17:00, no Palácio dos Viscondes de Balsemão (Praça Carlos Alberto, 71, Porto), arranca o “Porto de Encontro”, uma iniciativa do jornalista Sérgio Almeida que é promovida pelo Grupo Porto Editora e que conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, da Porto Cálem, do Jornal de Notícias, da Rádio Nova e do Porto Canal.

“Porto de Encontro” é o nome de um novo ciclo de conversas com escritores, de periodicidade mensal, a decorrer em locais emblemáticos da cidade do Porto. As conversas serão conduzidas por Sérgio Almeida e incidirão sobre os livros mas, também, servirão para dar a conhecer o lado mais pessoal dos autores convidados, num registo de proximidade e de familiaridade através do qual se pretende estreitar a relação entre os leitores e os escritores.

Gonçalo M. Tavares abre “Porto de Encontro”

A primeira sessão do “Porto de Encontro” tem como convidado o reconhecido escritor português Gonçalo M. Tavares, autor de inúmeras obras de eleição, entre as quais Matteo perdeu o emprego, publicado em 2010 pela Editora. O livro será um dos tópicos da conversa conduzida por Sérgio Almeida, a qual estará aberta a todos os leitores – a entrada no evento é livre.

Em dezembro, o “Porto de Encontro” terá como convidado José Rentes de Carvalho, escritor português a viver há várias décadas na Holanda cuja obra tem vindo a ser reeditada pela Quetzal. A sessão está marcada para dia 10 de Dezembro, às 17 horas, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, no Porto.

Novembro 15, 2011

Novidade Esfera do Caos: Colectânea de Novos Poetas Portugueses - Coordenador: Miguel Almeida

 

Novidade e diversidade. Novos temas, novas abordagens, estilos diferenciados, eis o que esta Colectânea tem para oferecer. Uma autêntica lufada de ar fresco no panorama da poesia em Portugal. 30 novos poetas portugueses dão-nos a conhecer o melhor da sua poesia, até agora desconhecida… Uma agradável surpresa… Uma obra para todos os que vivem e sentem a poesia com intensidade…
OS AUTORES: Adélia Vaz, Alexandrina Coelho, Álvaro José Ferreira Gomes, Ana Maria Domingues, Ângelo Fitas, António Borrego, António Piedade, Armindo Loureiro, Bode Ranhoso do Marão (aliás Carlos Coelho), Bruno Miguel Inácio, Catarina Teixeira, Céu Cruz, Cristina Correia, Gabriel Rito, Guiomar Casas Novas, Isabel Vilaverde, João Carlos Silva, José Gabriel Duarte, Libânia Madureira, Maria Helena Almeida Lopes, Maria João Nunes, Marta Guerreiro, Nanda Rocha, Noélia de Santa Rosa, Pedro Martins, Ramiro Morais, Ricardo Bernardo Valez, São Reis,Victor Cohen, Xico Mendes.
SOBRE O COORDENADOR: Miguel Almeida nasceu em Rãs, pequena aldeia do concelho de Sátão, distrito de Viseu, em 1970. É autor de Um Planeta Ameaçado: A Ciência Perante o Colapso da Biosfera (Esfera do Caos, 2006), A Cirurgia do Prazer: Contos Morais e Sexuais  (Esfera do Caos, 2010), O Templo da Glória Literária: Versão Poética (Esfera do Caos, 2010),Ser Como Tu (Esfera do Caos, 2011) e Chireto: Uma Semana de Histórias para Contar ao Deitar (Lua de Marfim, 2011).Publicou também, desta vez em co-autoria, a obra Já não se fazem Homens como antigamente (Esfera do Caos, 2010). Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde também fez o Mestrado em Filosofia da Natureza e do Ambiente, exerce actualmente funções docentes na Escola Secundária Cacilhas-Tejo, em Almada. Vive na Costa da Caparica, com a mulher, Carla, e o filho, Gabriel, na proximidade poética da família e do mar. Prepara actualmente novas obras, nos domínios da poesia e da prosa de ficção.