Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Julho 01, 2010

Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco distingue ENCICLOPÉDIA DA ESTÓRIA UNIVERSAL, de Afonso Cruz

 

A Enciclopédia da Estória Universal está organizada por entradas, ordenadas  alfabeticamente, que, felizmente, não passam de ficções curtas, escritas com um rigor que faz justiça aos autores que o inspiraram Afonso Cruz (Borges é o primeiro nome da lista). Trata-se de uma alternativa literária à enciclopédia de Diderot e D’Alembert. Um livro que não cabe nas classificações habituais e que tem sido apreciado por amantes da literatura, interessados em autores nunca lidos e escritores desconhecidos. É caso para dizer: se não reconhecer o nome citado, é muito provável que seja o de alguém que nunca existiu fora dos livros.
Este é um livro de factos – de ficções, burlas, citações – esquecidos ou ignorados pela História e encruzilhados uns nos outros em forma de labirinto. Um espaço entre mordomos e coronéis, metáforas, mentiras, assassínios, deuses duplos, cabalistas fabulosos, ascetas hindus e narrativas absolutamente orientais.
Da imprensa
«O conhecimento, enquanto arrumação global e definitiva, é uma ilusão, e Afonso Cruz, na esteira de Borges, dedica-se a cruzar leituras e ficções, com brio e graça.»  Pedro Mexia, Público
«Com a sua inabalável lógica interna e os seus requintes estilísticos, esta Enciclopédia da Estória Universal é o mais divertido, surpreendente e estimulante dos livros de ficção publicados este ano [2009] por autores portugueses.» José Mário Silva, Ler

Sobre AFONSO CRUZ
Além de escrever, Afonso Cruz é ilustrador, realizador de filmes de animação e compõe para a banda de blues/roots The Soaked Lamb onde canta, toca guitarra, harmónica e banjo). Nasceu em 1971, na Figueira da Foz, e haveria, anos mais tarde, de viajar por mais de sessenta países. Vive com a sua família num monte alentejano onde, além de manter uma horta e um pequeno olival, fabrica a cerveja que bebe. Em 2008, publicou o seu primeiro romance A Carne de Deus – Aventuras de Conrado Fortes e Lola Benites. Em Setembro de 2009 publicou com a Quetzal Enciclopédia da Estória Universal, agora distinguido com o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco – Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão/APE. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.