Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

planetamarcia

planetamarcia

Maio 02, 2010

As Esquinas do Tempo - Rosa Lobato de Faria - Opinião

 

Admito a minha enorme curiosidade em relação aos romances de Rosa Lobato de Faria. São várias as razões que me levam a querer conhecer a sua obra, a principal delas é provavelmente o facto de ter uma quantidade razoável de livros editados. Em tempos, uma amiga dedicou-se a ler os livros desta autora, devorava-os e adorava. Por qualquer razão nunca li nenhum…este ano finalmente decidi-me e adquirir “As Esquinas do Tempo” na Feira do Livro de Lisboa… li-o em dois dias…

O que fica depois desta leitura? A noção clara de que Rosa Lobato de Faria escrevia sob a batuta de uma imaginação prodigiosa. Adorei este livro, a forma como nos transporta para várias situações irreais mas que de tão bem descritas e explicadas se tornam verdadeiras e me fizeram acreditar serem perfeitamente possíveis. Conheci Margarida…isto é…várias Margaridas, cada uma na sua época…mas ao mesmo tempo são todas a mesma…a mesma pessoa a viver diferentes vidas, a encontrar as mesmas pessoas em espaços temporais distintos.

Sem dúvida um livro que me deu muita vontade de opinar mas do qual não é fácil falar; uma história em que entrei com facilidade e que me acompanhava sempre depois de fechar o livro, acima de tudo é daqueles livros que nos dá vontade que chegue a noite para podermos finalmente mergulhar nas vidas das personagens e ansiar pela última página para saber como vai terminar.

Um livro que fala do tempo, do tempo que temos, do que desperdiçamos, do tempo que passou, e também, curiosamente, do tempo que podemos recuperar.

Rosa Lobato de Faria é, sem dúvida, uma grande perda na cultura portuguesa.

Sinopse

“"Quando Margarida chegou à Casa da Azenha teve aquela sensação, não desconhecida mas sempre inquietante, de já ter estado ali."

Margarida é uma jovem professora de Matemática. Um dia vai a Vila Real proferir uma palestra e fica hospedada num turismo de habitação, casa antiga muitíssimo bem conservada e onde, no seu quarto, está dependurado o retrato a óleo de um homem que se parece muito com Miguel, a sua recente paixão.
Por um inexplicável mistério, na manhã seguinte Margarida acorda cem anos atrás, no seio da sua antiga família.
Sem perder consciência de quem é, ela odeia esta partida do tempo. Mas aos poucos vai-se adaptando. Conhece o homem do quadro e apaixona-se por ele. Quando ele morre num acidente, Margarida regressa ao presente.

Romance simultaneamente poético e fantástico, As Esquinas do Tempo é mais uma prova do indesmentível talento literário de Rosa Lobato de Faria.”

Porto Editora, 2010 

6 comentários

Comentar post