Domingo, 16 de Outubro de 2011

O Que Seria Eu Sem Ti? - Guillaume Musso - Opinião

 

Li todos os livros do Guillaume Musso editados cá. Houve uma altura, se calhar por ter lido vários de seguida, que achei que me começava a cansar, por terem todos uma fórmula muito idêntica.

Seja como for, este “Que Seria Eu Sem Ti?” encantou-me de tal modo que me senti como se fosse a primeira vez que lia um livro de Musso. Deixei-me envolver nas vidas das personagens e nos seus percursos conturbados típicos dos livros do autor. A fórmula dos seus livros é de facto muito semelhante mas há alguns deles que têm o poder de me maravilhar completamente. Este é um deles.

Gabrielle e Martin vivem, ainda jovens, um grande amor. Por diversas razões afastam-se e seguem percursos de vida diferentes, em países diferentes. Os anos passam e esse amor nunca morreu, vive atormentando cada um deles como só os assuntos mal resolvidos podem fazer. Por uma sequência de coincidências reencontram-se passados mais de 10 anos. Mas haverá verdadeiramente coincidências na vida? Ou será que, cegos, seguimos o percurso traçado sem lhe poder fugir?

Pois, ler livros de Guillaume Musso é meditar em dúvidas, duvidar das próprias dúvidas e ponderar se, afinal, há alguma razão para duvidar…porque se calhar é tudo demasiado claro e simples, o ser humano tende a complicar e evitar a sua rota…mas não lhe pode fugir…ou pode?

Não sei, de qualquer modo não consigo concluir, resta-me desejar atingir a maturidade de conseguir viver bem apesar da dúvida…

A certeza que tenho é que este livro me fez muito feliz. Muito bom deixar-me lembrar de forma tão bela do poder do amor, e da felicidade de aproveitar os momentos que verdadeiramente preenchem e completam as nossas vidas. É um ensinamento fundamental saber encher a alma de sorrisos e “deixar cair” o que nos envenena. Viver cada dia dos máximos e não permitir que os mínimos nos afectem. Sou uma mera aprendiz desta sabedoria… mas este género de leituras renova-me, faz-me pensar e acreditar que posso optar por me alimentar só do melhor…

Não seria um livro de Guillaume Musso se não envolvesse os mistérios da morte, até porque é uma forma de lembrar que devemos aproveitar a vida. Guillaume cria uma fronteira muito ténue entre a vida e a morte, como se fosse quase um local de paragem, reflexão e até decisão. Como se estivesse nas nossas mãos optar pelo regresso ou pela definitiva viagem. Poderá ser uma viagem com dia e hora marcada? Onde estamos quando não morremos mas também já não estamos vivos? Sinceramente receio escrever demais mas achei lindo.

Estamos sempre a tempo de escolher ser felizes. É muito bom acreditar nisto.

“O amor separa-se da morte por apenas três letras.”

Na conclusão da uma história brilhante Guillaume oferece aos leitores uma mensagem de agradecimento muito especial. Para mim é um escritor com o coração ligado aos dedos. Tem o dom de escrever directamente da alma.

Sinopse

“Gabrielle tem dois homens na sua vida. Um é o pai, o outro, o seu primeiro amor. Um é um grande polícia, o outro um célebre ladrão. Desapareceram os dois há muito, deixando-lhe um vazio imenso no coração. No mesmo dia, à mesma hora, ressurgem para lhe inquietarem a vida. Conhecem-se, detestam-se, defrontam-se num desafio mortal. Gabrielle recusa-se a escolher entre os dois, gostaria de os manter na sua vida, de os aproximar, de os amar a ambos. Mas existem duelos em que a morte é o desfecho inevitável. A não ser que…
Dos telhados de Paris ao sol de São Francisco. Um primeiro amor que ilumina toda uma vida. Uma história envolvente, repleta de amor e fantasia.”

Bertrand, 2010

publicado por marcia às 23:28
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Agosto de 2009

Volto para te Levar - Guillaume Musso

 

A leitura do extraordinário “Volto para te Levar” não constituíu surpresa para mim. As expectativas eram altas e não me desiludiu; o autor mantém a fórmula dos livros anteriores e está mais que provado que resulta. Acho que é um livro para sonhadores, para os que acreditam que a vida pode ser sempre melhor, e que só nós temos o poder para mudar o que não queremos e lutar pelos nossos desejos.

De facto, podem parecer frases feitas e banais, mas se em alguns momentos da nossa vida parássemos para meditar um pouco sobre qual é o poder que realmente temos para atingir os nossos objectivos, poderíamos ficar espantados com o que conseguiríamos com a nossa força interior.
Não sou uma pessoa demasiado emotiva, na verdade o meu lado racional é um traço forte da minha personalidade; daí achar os livros de Musso excelentes, pois apesar de lhe chamarem “o mestre da emoção”, não é lamechas nem cai em sentimentalismos baratos, ao invés disso, demonstra de forma bastante lógica como aproveitar a vida e seguir os sonhos. Aprecio isso, a forma como constrói os pressupostos das suas histórias; obviamente que se suporta da ficção, de situações que sabemos que não são reais… mas é uma forma de fazer o leitor “embarcar” numa aventura que enriquece, faz pensar e, acima de tudo, o vai surpreender no final.
Desta vez acompanhamos a história de Ethan, psicólogo adorado pelo seu público, que conseguiu o sucesso às custas do seu esforço e da sua inteligência. Toda a vida se sentiu subaproveitado, sabia que podia conseguir mais do que trabalhar nas obras e ter uma família standard; um dia, ainda jovem, teve a coragem de “tomar o pulso” na sua vida, fazer as suas escolhas e lutar pelo que acreditava.
Mais tarde, após percorrido um percurso recheado de sucessos, questiona-se se é feliz, se o dinheiro e a fama o levaram onde queria, se o que tem é realmente o que queria, ou se o que queria chega para o fazer feliz…
Uma aventura de escolhas, de passos e de surpresas. Neste livro o tempo não existe como o conhecemos, e a Ethan são permitidas várias viagens para dar os passos certos, corrigir o que está mal, fazer os outros felizes e lutar pela vida. Mas poderá ele fugir do destino?
Estou rendida a este autor que, apesar de ser tão jovem, e escrever de forma simples, faz meditar sobre temas tão complexos e por vezes pesados.
Um livro de Musso é, acima de tudo, um presente para o espírito, são palavras que nos acompanham muito depois da leitura concluída. Simplesmente fantástico.
“Dai-me a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar as coisas que posso mudar, e a sabedoria para conseguir distinguir umas das outras” Oração da Serenidade  (Pág. 317).
Sinopse
“Ethan, Céline, Jessie.
Um homem, uma mulher, uma criança. Três personagens à beira do abismo. Que se vão encontrar, destruir-se e amar-se. Terão também eles ultrapassado o ponto de não retorno? Resta-lhes 24 horas para mudar as suas vidas.

Mas será que o amor pode vencer a morte?”
 
“Vivam intensamente, amem intensamente.
Nós pensamos sempre que temos tempo, mas não é verdade. Um dia tomamos consciência de que transpusemos o ponto de não retorno e que já não podemos voltar atrás. O momento em que nos apercebemos que deixámos passar a nossa oportunidade…”
 
Bertrand, 2009

 

opinião:
a ler: Romance na Toscana, Elizabeth Adler
publicado por marcia às 17:23
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

Estarás aí?

Mais um livro de Guillaume Musso, mais uma leitura envolvente. 

Confesso que não me deu a mesma adrenalina dos dois primeiros livros do autor, se calhar trata-se de uma fórmula boa mas que com o tempo cansa...será? 

De qualquer modo não posso dizer que haja uma repetição dos argumentos... isto é...são histórias diferentes que acabam por nos levar a conclusões semelhantes.

 

Penso que dos quatro livros editados entre nós este foi o que menos me convenceu...acho o tema interessante e dei por mim muitas vezes a pensar na possibilidade de voltar atrás no tempo e mudar o rumo da minha história...quem nunca pensou?

Este livro mostra-nos o que pode acontecer se essa possibilidade se torna uma realidade... considero-o um pouco como um ensaio, dado que viajar por diferentes dimensões de tempo é algo que não me convence.

É um livro de possibilidades, de caminhos em aberto, de vidas que podem deixar de existir se dermos o "tal passo atrás no tempo". Faz pensar e meditar. Mesmo os erros que cometemos e desejamos apagar podem ter originado coisas boas nas nossas vidas...desejamos apagá-las também?

 

Essencialmente é um livro dificil de descrever...mas que vale a pena ler...

 

Sinopse
 
"São Francisco. Elliott, médico apaixonado, nunca se recompôs do desaparecimento de Ilena, a mulher que ele amava, morta há 30 anos. Um dia, uma situação extraordinária permite-lhe recuar no tempo e encontrar o jovem que ele era, há 30 anos atrás. Elliott regressa ao instante decisivo em que um gesto seu pode salvar Ilena e modificar o destino implacável que determinara a sua vida desde então."
 
Bertrand, 2007
 

 

opinião:
a ler: A Ilha, Victoria Hislop
publicado por marcia às 15:38
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sábado, 21 de Junho de 2008

Porque te Amo

"Para preservar a surpresa, não revele o fim deste livro aos seus amigos!"

 

Aviso do autor antes do inicio do livro.

Desta forma entramos em mais uma história de pessoas, dos seus dramas, encontros e desencontros.

Mas o que esta frase nos faz logo antever é que estamos perante mais um livro "estilo Musso". Preparamo-nos para mais uma entrada alucinante no seu universo cheio de surpresas...percorremos ums história feita de tantas histórias que afinal acabam por ser apenas uma...ou nenhuma??

Bom, mantendo a minha lealdade ao pedido inicial do autor, prefiro não revelar mais nada!

 

Apenas acrescento que é mais um livro de leitura compulsiva, cheio de simbolismo e claro...amor!

  

Sinopse

Layla, uma menina de cinco anos, desaparece num centro comercial de Los Angeles. Os pais, desfeitos, acabam por se separar.
Cinco anos mais tarde Layla é encontrada exactamente no mesmo sítio onde tinha desaparecido, envolta num estranho mutismo.
Onde esteve Layla estes anos? Com quem? E não menos importante, porque voltou?
 
"Musso afirma-se como mestre na arte do mistério"  Paris Match
 
"A mecânica narrativa de Musso é de uma eficácia impecável (...) As personagens caracterizadas de uma fragilidade tocante e de uma humanidade que nos toca visceralmente. Em Musso a emoção tem primazia sobre o resto do enredo." Le Figaro Magazine
 
 
Bertrand, 2008

 

opinião: Extraordinário
a ler: Tim, Colleen McCullough
publicado por marcia às 12:08
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 17 de Junho de 2008

e Depois...

Este foi o segundo livro que li de Guillaume Musso. Tinha adorado ler o "Salva-me" e estava muito ansiosa por ler este "e Depois...".

 

Li-o num dia! Uma vez lida a primeira linha é impossível parar antes do fim. E no fim dá vontade de voltar ao início para viver outra vez a aventura de ler este livro!

Musso escreve de uma forma simples e fluida mas é profundo nas ideias que explora e na forma como desenvolve a existência dos seres humanos desta história. Faz pensar na vida, na inevitabilidade da morte e no que é realmente importante.

 

Gostaria de partilhar algumas opiniões que me parecem descrever bem este livro e o estilo deste autor. Passo a transcrever:

 

"Se não víssemos o seu nome na capa, poderíamos pensar que este livro foi escrito por Crichton ou por Grisham". Canal Plus - Jérôme Béglé

 

"Gosta de Marc Lévy ? Então vai adorar Guillaume Musso (...) Previno que este romance é perigoso, uma vez aberto não o conseguimos abandonar antes da última página. Falo com conhecimento de causa. Aconteceu-me!" RTL - Bernard Lehut

 

"Uma história de amor, de suspense e de iluminação, o início de um estilo." Métro - Didier Pourquery

 

"Guillaume Musso [...] domina a arte do suspense com a eficácia “desses mestres do thriller americano cujas estratégias ele analisou em profundidade. Situando a acção em Nova Iorque, depois do atentado de 11 de Setembro de 2001 [...], ele consegue reproduzir com sucesso a atmosfera tão particular do momento. Essa atmosfera de uma “cidade onde tudo pode acontecer”, incluindo o seu próximo romance." L’Express - Anne Berthod

 

 

Sinopse

 

E se alguém lhe dissesse que ia morrer?

Nova Iorque, terraço do Empire State Building, 23:

"- Nathan, repara no rapaz do anoraque laranja.

- Caramba, Garrett, porque é que devo olhar para ele?

- Porque ele vai morrer.

Em menos de um minuto, o adolescente dá um tiro na cabeça".

 

É assim que Nathan Del Amico, um brilhante advogado nova-iorquino, descobre o estranho dom de Garrett Goodrich. Quem é Garrett Goodrich? Um reputado cancerologista, director de um importante centro de cuidados paliativos. Não parece ser um iluminado, mas diz-se capaz de prever a morte. Diz ter "uma missão": acompanhar aqueles que vão morrer até às fronteiras do outro mundo, para que deixem a vida em paz consigo mesmos. Perturbado, Nathan compreende que Garrett entrou em contacto com ele para o preparar a morrer. Numa corrida contra o tempo, Nathan tenta reparar os seus erros passados. Mas será que podemos, no espaço de alguns dias, reconstruir toda uma vida? Guillaume Musso apresenta-nos um romance denso, mágico, envolvente, que aborda temas graves com uma leveza surpreendente. Verdadeiro hino à vida, é ainda uma formidável história de amor entre um homem preso no turbilhão da ascensão social, a mulher que ele quer reconquistar e uma filha por quem tem de viver a vida dela forma mais intensa possível.; Assistimos ao nascimento de um estilo Musso, onde revemos a emoção de um Marc Lévy, a capacidade de encenação de uma Patricia Cornwell e uma intriga com ecos de Sexto Sentido...

 

Bertrand, 2006

opinião: Extraordinário
a ler: Porque te amo, Guillaume Musso
publicado por marcia às 21:30
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

Salva-me

Nada como um fim-de-semana grande para ler como se não houvesse amanhã!

 

Na passada sexta-feira 25 de Abril adquiri dois novos livros para a minha modesta biblioteca! Visitei a Feira do Livro de Coimbra e, apesar de achar que as Feiras do Livro já foram bem melhores em Coimbra, comprei o "Salva-me" de Guillaume Musso e o "Pedaços de Ternura" de Dorothy Koomson.

 

Já há algum tempo que estava curiosa para ler algo de Musso, mas confesso que superou todas as minhas expectativas, no Domingo de manhã já estava lido, não o larguei enquanto não cheguei ao fim.

 

É dificil descrever este livro, ao explicá-lo ao meu marido saíu-me algo do género: "é um misto de C.S.I. e Cidade dos Anjos"! Não é uma crítica bem conseguida e não é uma frase nada brilhante mas é um pouco a sensação que tive ao ler...não se assemelha a nenhum estilo, estereótipo ou rótulo...e também não é nada fácil de lhe atribuir uma forma.

é isso, é um livro sem forma...é uma viagem...

 

Este livro levou-me numa viagem de encontros entre almas-gémeas, esse lugar-comum que é o amor...e que por mais comum que seja nos move a cada dia, ou não?

 

"Uma história encantadora repleta de fantasia, suspense e amor.
O insólito encontro entre Juliette e Sam é explosivo e mágico. Mas o apaixonado fim-de-semana que vivem juntos é maculado pela mentira. Sam, viúvo, diz ser casado; Juliette, empregada num café, diz ser advogada.
Juliette tem de regressar a Paris e Sam acompanha-a ao aeroporto. É o instante decisivo em que o destino de ambos pode mudar, mas nem um nem outro ousa pronunciar as palavras necessárias.
Meia hora mais tarde, chega a notícia: o avião de Juliette explodiu em pleno voo. Sam é agora um homem desesperado. Está longe de imaginar que a história deles não acaba aqui..."

Ficamos presos a narrativa de encontros e desencontros de Sam e Juliette, bem como a todas as personagesn que vão surgindo e que, há medida que o livro avança estão relacionados de alguma forma com este par. Ou então são Sam e Juliette que se relacionam com as outras personagens...é dificil dizer pois tudo se vai encaixando como as peças de um puzzle. Neste livro tudo está relacionado, tudo o que aconteceu no passado tem reflexos na acção presente.

No final...bem no final cada um que fique com a sua própria ideia de destino!

 

Bertrand Editora,  2007

 

 

 

 

opinião: Excelente
publicado por marcia às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O Que Seria Eu Sem Ti? - ...

. Volto para te Levar - Gui...

. Estarás aí?

. Porque te Amo

. e Depois...

. Salva-me

.últ. comentários

inesquecível Mr. Darcy...
É o bom dos clássicos, não vão desaparecer.
Parabéns à revista, aos Inomináveis e sobretudo a ...
Tenho um carinho muito especial por Jane Austen e ...
Este livro foi uma desilusão, tem aspetos históric...
Parabéns para nós e a todos :)Beijinhos
Também li este livro recentemente! Vamos sempre a ...
Tenho de tratar disso! Beijinho.

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

.gosto

blogs SAPO

.subscrever feeds