Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

O Toque de Midas

 

Mais um livro de uma escritora que já referi muitas vezes e que com este “épico” me convenceu mais uma vez da sua grande capacidade literária.
Muito bem escrito e estruturado, “O Toque de Midas” conta a história de um homem audaz e bafejado pela sorte. Alexander Kinross consegue tudo a que se propõe, é um homem forte e determinado…um visionário do mundo dos negócios e da criação de riqueza. Tem o mítico toque de Midas!
No mundo material Alexander é exímio mas na vida sentimental o seu “Toque Humano” é bastante falível. Demasiado determinado e com planos bem estruturados em todas as áreas da sua vida, Alexander vai ter algumas dificuldades em entender e superar as situações criadas pelo lado emocional das pessoas com quem se vai relacionar, nomeadamente a sua esposa Elizabeth.
Trata-se de um casamento “arranjado”, os noivos não se conhecem e a partir deste momento a história desenvolve-se numa sucessão de histórias de cada personagem.
Uma saga familiar admirável tão ou mais envolvente do que “Pássaros Feridos” da mesma autora.
Deu-me muito prazer ler este livro.
Sinopse
 
“No centro do romance está Alexander Kinross, lembrado na sua Escócia natal como um pobre jovem aprendiz de caldeireiro. Mas quando, anos mais tarde, escreve da Austrália a avisar que a noiva pode ir ter com ele, os seus parentes rapidamente se apercebem que fez fortuna com o ouro.
Chegada a Sidney depois de uma difícil viagem, Elizabeth Drummond, de 16 anos, encontra-se com o seu futuro marido e descobre, para sua infelicidade, que ele a assusta e repugna. Sem outra hipótese, casa com ele e fica relegada numa quinta algures no imenso campo australiano. Nem sequer faz ideia que ele mantém uma amante, a sensual e extrovertida Ruby Costevan.
Cativado pelas diferentes personalidades da esposa e da amante, Alexander decide manter ambas as mulheres. Elizabeth dá-lhe duas filhas. Movido pelo desejo de ter um varão, Alexander vira-se para o filho de Ruby, como possível herdeiro do seu império.
Desde "Pássaros Feridos" que Colleen McCullough não escrevia um romance tão atraente acerca de uma família e sobre a experiência Australiana como agora com "O Toque de Midas". “
 
 
Críticas de imprensa
 
"Uma história muito bem conseguida, colorida, acerca de personagens e lugares também eles bastante coloridos. O Toque de Midas é Colleen McCullough no seu melhor."
Kirkus Reviews
 
"Colleen McCullough regressa às suas raízes australianas com uma saga de tragédia e triunfo de uma família rica, carregada de personagens inesquecíveis. Os leitores ficarão mais do que satisfeitos. Só lamentarão quando chegar ao fim este novo épico, da mulher que revitalizou universalmente a literatura feminina."
Book Club Review
Difel, 2008
opinião:
a ler: Estarás aí?, Guillaume Musso
publicado por marcia às 10:27
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Domingo, 22 de Junho de 2008

Tim

Continuo a descobrir Colleen McCullough, foi com rapidez que li "Tim" um livro que me emocionou e que não cosegui largar até terminar. Nada como um livro bem escrito e com uma boa história para fazer o Domingo valer a pena!

 

Esta é a história de Mary e Tim, que desde que se encontraram não se separaram mais. Entre eles nasceu uma amizade muito bonita mas por vezes incompreendida. Collen conta uma história de pureza e sensibilidade que enfrenta os preconceitos típicos da nossa sociedade.

 

Como seria bom ver a vida pelo seu lado mais simples e encontrar as respostas que Mary e Tim encontraram...porque na verdade o caminho certo é mesmo muitas vezes o mais simples.

 

Sinopse

 

Mary Horton, solteira na casa dos quarenta, rica, solitária, simples, acredita que não precisa de amor nem de amizade, satisfazendo-se com a sua confortável casa, o seu jardim, o seu Bentley e a casa de praia que comprou com o fruto do seu trabalho e dos investimentos realizados, com os livros que lê e a música que ouve sozinha.
 
Tim Melville, vinte e cinco anos, operário, é filho de Ron e Esme Melville que o receberam como uma dádiva para o seu tardio casamento. Tim tem a beleza e a graça de um deus grego, mas é um simples de espírito, uma criança grande.
 
No entanto, Ron e Esme, modestos operários australianos, pessoas sensatas e sem ambições, gostam dele pelo que é e preparam-no para trabalhar segundo as suas possibilidades. Tim é um trabalhador insignificante de uma empresa de construção civil, infatigável e esforçado. Dias de trabalho pesado e fins-de-semana passados com o pai num pub e noites tranquilas junto da família, a ver televisão, representavam para Tim toda a sua perspectiva de vida.
 
Quando Mary encontra Tim e o contrata como jardineiro durante os fins-de-semana, uma ligação muito forte vai nascer entre eles. Mary sente por Tim o mesmo tipo de amor que sentiria pelo filho que nunca teve; Tim, em contrapartida ensina-lhe a ver o mundo de uma maneira mais simples e optimista, trazendo à sua vida solitária o calor e o afecto que lhe faltavam.
 
«É refrescante a forma como Tim explora os recônditos do coração e da sensibilidade humana.»
New York Times
 
«Um romance exemplar. Como só Colleen McCullough sabe fazer. Uma história como só ela sabe contar! Pujante e assustador. Magnífico!»
Revista Mulheres
 
«Um profundamente sensível romance que nos toca o coração sem nunca se deixar cair na tentação da lágrima fácil.»
Australian Womens Weekly
 
Difel, 2007
 
 
opinião: Emocionante
publicado por marcia às 19:05
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Pássaros Feridos

Colleen McCullough tem uma vasta obra de livros editados. Confesso que já há muito tenho curiosidade de ler algo dela mas nunca se tinha proporcionado. A Biblioteca da revista Sábado trouxe-me a oportunidade de fazer o primeiro contacto com esta autora.

 

"Pássaros Feridos" é uma saga familiar excelente, com personagens ricos e bem construídos cuja existência acompanhamos ao longo de cerca de 60 anos. Percurso "amoroso" entre Meggie Carson e Ralph de Bricassart desde a infância desta até a idade adulta, sempre pautado pela divisão do coração dele entre a Igreja Católoca e o amor por ela.

 

A história de Meggie e Ralph é sem dúvida o ponto chave que nos faz continuamente virar as páginas. Mas ao redor desta muitas outras histórias se sucedem, personagens desenvolvem-se  e crescem, ganham a sua importância.

 

Sinopse

Pássaros Feridos é a saga vigorosa e romântica de uma família singular, os Clearys. Começa no princípio do século XX, quando Paddy Cleary leva a mulher, Fiona e os sete filhos do casal para Drogheda, vasta fazenda de criação de carneiros, propriedade da irmã mais velha, viúva autoritária e sem filhos; e termina mais de meio século depois, quando a única sobrevivente da terceira geração, a brilhante actriz Justine O' Neill, muitos meridianos longe das suas raízes, começa a viver o seu grande amor.

 

Personagens maravilhosas povoam este livro: o forte e delicado Paddy, que esconde uma recordação muito íntima; a zelosa Fiona, que se recusa a dar amor porque este, um dia, a traiu; o violento e atormentado Frank e os outros filhos do casal Cleary, que trabalham de sol a sol e dedicam a Drogheda a energia e devoção que a maioria dos homens destina às mulheres; Meggie, Ralph e os filhos de Meggie, Justine e Dane. E a própria terra: nua, inflexível nas suas florações, presa de ciclos gigantescos de secas e cheias, rica quando a natureza é generosa, imprevisível como nenhum outro sítio na terra.

 

"Verdadeiramente maravilhoso… um épico estrondoso, com uma extrema sensibilidade para as emoções humanas."
New York Times

 

Biblioteca Sábado, 2008

 

opinião: Apaixonante
a ler: Tim, Colleen McCullough
publicado por marcia às 10:36
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O Toque de Midas

. Tim

. Pássaros Feridos

.últ. comentários

Olá! Já ouvi, sim, obrigada. Fiz um post. Boas lei...
Pois tem! Mas só ás vezes...
é isso!
Olá Márcia,por acaso já ouviu o A páginas tantas.....
Olá Márcia,Cumpriu o seu objectivo, que é mais imp...
Como te entendo. Também preciso de parar de vez em...
Nunca vai terminar, Isaura!
Ui..promete.assim a lista de livros não vai termin...
Eu percebo, Paula, e este livro é muito forte. Mes...
Estou dividida em relação a este livro. Este tipo ...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

.gosto

blogs SAPO

.subscrever feeds