Terça-feira, 30 de Agosto de 2011

Romance inédito da literatura - NOVIDADE CLUBE DO AUTOR

 

Pequeno no número de páginas mas enorme no que à aclamação popular diz respeito, este segundo romance de Penelope Fitzgerald foi o primeiro a figurar entre os finalistas do Booker Prize. A autora venceu o prémio em 1979 com Offshore.

Em 1959, Florence Green, uma viúva com uma pequena herança, arrisca tudo para abrir uma livraria na vila costeira de Hardborough. Depois de comprar o espaço, um velho edifício com fama de estar assombrado, e de vencer a resistência inicial, Florence decide colocar à venda o livro Lolita, de Nabokov, desencadeando um terramoto subtil mas devastador na pequena localidade.

A Livraria marca a estreia de Penelope Fitzgerald em Portugal.

Penelope Fitzgerald é uma das mais notáveis vozes da ficção britânica. Autora tardia, publicou o primeiro livro, uma biografia sobre o pintor Edward Burne-Jones, em 1975, a que se seguiu, dois anos depois, o seu primeiro romance, quando já tinha sessenta anos.

Depois de se licenciar em Somerville College, Oxford, trabalhou na BBC; durante a guerra, foi editora de um jornal literário, geriu uma livraria e ensinou em várias escolas, incluindo uma de teatro.

Autora de nove romances, três dos quais — A Livraria, The Beginning of Spring e The Gate of Angels — estiveram na shortlist para o Booker Prize, Fitzgerald foi finalmente distinguida com o Booker Prize em 1979, com Offshore. O seu último romance, A Flor Azul, o mais admirado de 1995, foi repetidamente eleito pela imprensa internacional como «Livro do Ano». Ganhou ainda o Circle Award, atribuído pela America’s National Book Critics, contribuindo para que se tornasse conhecida de um público mais vasto.

Reconhecida biógrafa e crítica, Penelope Fitzgerald escreveu ainda acerca da vida da poetisa Charlotte Mew e publicou a obra The Knox Brothers sobre o seu extraordinário pai — Edmund Knox, editor da revista Punch —  e irmãos.

Fitzgerald faleceu em Londres em Abril de 2000, aos oitenta e três anos.

Informação Técnica

A Livraria

Tradução de Eugénia Antunes

PVP: 12,50 € • 174 Páginas

publicado por marcia às 23:23
link do post | comentar | favorito
|

Romance clássico da literatura - NOVIDADE CLUBE DO AUTOR

 

Proclamado pela revista Time como um dos cem melhores romances em língua inglesa do século XX, Mrs. Dalloway é a grande obra de Virginia Woolf, o primeiro dos seus romances a sair dos cânones tradicionais, adoptando a técnica da corrente de pensamentos com maestria.

Romance sobre o tempo e a desconexão da existência humana, Mrs. Dalloway faz coexistir, não só na mente das personagens que integram a obra mas também nas suas páginas, o passado, o presente e o futuro, lembrando o leitor que o tempo actual é influenciado pelo que o antecedeu e pelo que lhe sobrevirá.

Centrado em Clarissa Dalloway e ambientando no período pós Primeira Guerra Mundial, o livro eleito por Teresa Patrício Gouveia reflecte, na verdade, a história da crise de um indivíduo, de uma classe, de uma sociedade e do próprio romance.

Não obstante o facto de ter sido publicado pela primeira vez em 1925, logo nas primeiras páginas, refere Teresa Patrício Gouveia no prefácio desta edição, «constatamos como o seu olhar (de Virginia Woolf) e a sua escrita são totalmente modernos».

Mrs. Dalloway é o quarto título da colecção «Os Livros da Minha Vida». Esta é uma colecção que visa destacar alguns dos livros que ao longo dos séculos marcaram a sua época, entraram para a História da Literatura e, por qualquer razão, se tornaram especiais para determinada personalidade pública.

Mrs. Dalloway (Teresa Patrício Gouveia)

PVP: 11,95 € • 208 Páginas

publicado por marcia às 22:59
link do post | comentar | favorito
|

Porto Editora - Ficção - 'As Quatro Últimas Coisas', de Paul Hoffman

 

O primeiro volume da trilogia de Paul Hoffman, O Braço Esquerdo de Deus, publicado pela Porto Editora em 2010, foi um sucesso em Portugal, com cerca de 15 000 exemplares vendidos. A continuação da saga intitula-se As Quatro Últimas Coisas e chega às livrarias no dia 6 de setembro.

Segundo o The Times, esta é «uma história sombria e bem arquitetada, com reviravoltas arrepiantes», que tem vindo a conquistar milhares de apreciadores do género fantástico.

O LIVRO

Morte, Juízo, Paraíso e Inferno.

As Quatro Últimas Coisas que nos reserva o Destino.

Agora há uma Quinta.

O Seu Nome é Thomas Cale.

De regresso ao Santuário dos Redentores, Thomas Cale parece aceitar o papel que lhe é atribuído: o destino escolheu-o como o Braço Esquerdo de Deus, o Anjo da Morte. O poder absoluto está agora ao seu alcance; o terrível zelo e domínio militar dos Redentores é uma arma nas suas mãos e ele está pronto para cumprir o objetivo supremo da Única e Verdadeira Fé – a destruição da Humanidade.

Mas talvez o sombrio poder dos Redentores sobre Cale não seja suficiente – ele vai do amor ao ódio num abrir e fechar de olhos, da bondade à mais brutal violência num segundo. A aniquilação que os Redentores procuram pode estar nas mãos de Cale – mas a sua alma é muito mais estranha do que alguma vez poderão imaginar…

Escritor e argumentista britânico, Paul Hoffman colaborou durante algum tempo com o organismo responsável pela classificação de filmes no Reino Unido. Escreveu o argumento de três filmes, em coautoria, e trabalhou, entre outros, com Francis Ford Coppola.

O seu primeiro romance, The Wisdom of Crocodiles, deu origem a um filme protagonizado por Jude Law e Timothy Spall. Seguiu-se The Golden Age of Censorship, uma comédia negra publicada em 2007.

No catálogo da Porto Editora figura já O Braço Esquerdo de Deus, o primeiro volume da trilogia que agora continua com As Quatro Últimas Coisas.

Página da trilogia: www.lefthandofgodtrilogy.com

Título: As Quatro Últimas Coisas

Autor: Paul Hoffman

Tradutor: Mário Dias Correia

Págs: 360

PVP: 17,60 €

publicado por marcia às 22:48
link do post | comentar | favorito
|

"Ricochete" de Sandra Brown, Bestseller Internacional (Quinta Essência) - sai a 12 de Setembro

 

Da autora de Calafrio, Uma Voz na Noite e Vidas Trocadas Bestseller Internacional

Quando o detetive Duncan Hatcher é chamado à mansão do juiz Cato Laird para investigar uma morte, compreende que a discrição é a chave para manter o seu emprego. Elise, a mulher-troféu do juiz, afirma ter matado a tiro um gatuno em legítima defesa, mas Duncan tem quase a certeza de que ela mente. A investigação que faz ao passado pouco suspeito de Elise convence-o de que ela é mentirosa, manipuladora e, mais do que provavelmente, uma assassina.

Mas quando Elise desaparece…

Sem saber em quem acreditar, Duncan vê-se envolvido na investigação de um homicídio que desafia a sua lógica, o seu infalível instinto e a sua inabalável integridade. Não confia em ninguém, exceto na palavra do criminoso que prometeu eliminá-lo.

E confia ainda menos na mulher que mais deseja.

«Outro livro viciante que não desapontará os fãs de Sandra Brown... Adorei este romance... Sandra Brown consegue realmente dar-nos coisas boas.»

Salisbury Post

«A acção começa na primeira página e nunca mais acaba... Deixa os leitores a sentir... que acabaram de dar uma volta na melhor

montanha-russa do mundo.»

Midwest Book Review

«Uma leitura cheia de mistério com uma reviravolta brilhante. Não admira que Brown tenha tido já mais de quarenta bestsellers do New York Times

Beyond the Cover

«Uma apresentação excelente de lutas internas... excitante... ritmo veloz.» Review of Texas Books

«Uma contadora de histórias magistral que, cuidadosamente, tece enredos que fazem com que os leitores não consigam parar de ler.»

Sandra Brown é autora de mais de setenta romances, na sua maioria bestsellers do New York Times. É uma das mais importantes escritoras de romances policiais dos Estados Unidos, distinguidas, entre outros, com os prémios Texas Medal of Arts Awards for Literature e o Thriller Master de 2008, a distinção máxima atribuída pela International Thriller Writer’s Association.

Nascida em Waco, no Texas, Brown trabalhou como modelo e em programas de televisão antes de se dedicar à escrita. Publicou o seu primeiro romance em 1981 e, desde então, já vendeu cerca de setenta milhões de exemplares em todo o mundo, estado a sua obra traduzida em trinta e três idiomas.

Vive com o marido em Arlington, no Texas.

Para mais informações, consulte www.sandrabrown.net

publicado por marcia às 22:27
link do post | comentar | favorito
|

"Fama, Amor e Dinheiro" de Menna Van Praag (Quinta Essência) - sai a 5 de Setembro

 

May Fitzgerald tem, de repente, tudo o que sempre quis. Depois de anos a sentir-se gorda e pouco atraente e a procurar o amor nos sítios errados, tem finalmente a vida e o homem dos seus sonhos. Tudo devia ser tão perfeito – seguira a sua voz interior e ela conduzira-a à vida mágica com que sonhara.

Mas quando a sua nova vida como escritora de sucesso tem início, os velhos demónios de May surgem para a atormentar. As antigas inseguranças reaparecem e ela deixa-se fascinar pela lisonja e pelo brilho da fama. O seu comportamento começa a afectar o namorado e ameaça destruir a relação de ambos. Conseguirá ela dar a volta à situação e provar que realmente é possível ter tudo?

Fama

É uma droga à qual muitos seres humanos imperfeitos não são imunes. É agradável com conta, peso e medida, mas é preciso cuidado para não querermos comparar-nos com aqueles materialmente mais bem sucedidos do que nós.

Amor

Uma vida com amor verdadeiro não é uma vida sem desafios e tumultos, e uma verdadeira alma gémea não deve completar-nos, mas sim desafiar-nos.

Dinheiro

É uma armadilha e sozinho não traz a felicidade e a realização pessoal.

Uma história sobre fazer escolhas e não perder o rumo, mas, sobretudo, uma história sobre a importância de seguir os sonhos!
Menna Van Praag é escritora freelance, formada em Oxford, e aficionada de chocolates. O seu primeiro livro Homens, Dinheiro e Chocolate, foi traduzido para vinte línguas.

Menna vive em Cambridge com o marido, Artur, um gastrónomo exímio. Encontram-se agora a realizar um sonho que desde há muito acalentam, a abertura de uma livraria/café. Fama, Amor e Dinheiro é o seu segundo livro (publicado). Está presentemente a trabalhar no terceiro, The House at the End of Hope Street.

publicado por marcia às 22:23
link do post | comentar | favorito
|

Novidade 1001 Mundos de Setembro - Um Baile de Finalistas Infernal

 

Enquanto experiência interactiva de terror com criaturas infernais, caos, sangue e desmembramentos, foi um acontecimento impressionante. Porém, como baile de finalistas do secundário, a noite foi ligeiramente menos bem-sucedida.

Deveria começar pelo princípio, mas não tenho bem a certeza quando é que esse princípio ocorreu. Portanto, vou começar pelo dia em que me apercebi de que, apesar dos meus esforços mais determinados, não iria poder ignorar completamente o baile.

Maggie Quinn é uma jovem repórter. Aluna do quadro de honra, jornalista do jornal da escola e fotógrafa do livro de curso.

Faltam seis semanas para a formatura e tudo o que ela quer é sair inteira da secundária Avalon. Uma  croma sensata teria mantido a cabeça baixa e continuado a contagem decrescente até ao dia da entrega dos Diplomas. Mas o destino parece ter planos diferentes para Maggie.

A escola secundária pode ser um terreno fértil para a proliferação do mal, mas o cheiro a fogo e enxofre ainda continua a ser algo de invulgar. É o cheiro identificativo do enxofre que faz com que Maggie desconfie que há algo que não está bem. E, quando começam a acontecer coisas que parecem saídas do Twilight Zone, Maggie percebe que depende dela entrar em contacto com a sua Nancy Drew interior e descobrir o que soltou aquele mal antigo, antes que vá tudo para o inferno, literalmente.

Maggie sempre desconfiou que o baile de finalistas é uma obra do diabo, mas parece que a sua presença é obrigatória. Às vezes, uma rapariga tem de fazer certas coisas bastante desagradáveis para salvar a sua cidade de demónios, vindos do inferno, que esmagam a alma. E também das chefes de claque.

publicado por marcia às 22:09
link do post | comentar | favorito
|

Novidade 1001 Mundos de Setembro - Imortais

 

Portanto… que raio se passava convosco, adolescentes e vampiros? Hum?! Está bem, eu tenho as minhas suspeitas. Como acontece a qualquer adulto suficientemente amadurecido e racional, com mais de trinta anos, e que também seja pai ou mãe, a minha inclinação natural é acreditar que esse fascínio tenha a ver com… bem, com… sexo. Quer dizer, vá lá!

Mas, ao dar alguns passos nesta viagem à minha memória, sinto que devo dizer mais do que apenas a minha idade. Se quiser ser sincera comigo própria e convosco, devo acrescentar que o fascínio do vampiro é muito mais complexo do que o mero desejo sexual. A verdade é que a atração inspirada pelo vampiro vai muito além das hormonas enfurecidas e das emoções muito básicas.

Agora, venham comigo, está bem? Vamos entrar, outra vez, no reino dos imortais.

Quando se é imortal, o verdadeiro amor é mesmo para sempre

Rachel Caine regressa ao cenário da sua série de vampiros de Morganville, cidade onde mandam os vampiros e o amor é uma iniciativa de risco, mesmo quando se trata da própria família.

A autora de Tantalize, Cynthia Leitich Smith, oferece-nos um triângulo amoroso entre um vampiro, um fantasma e uma rapariga humana que ninguém é o que parece ser

Claudia Gray leva-nos ao mundo da sua série Evernight, em que uma futura concubina é alvo das atenções de um homem pálido e de cabelo castanho, que pode ser demasiado perigoso, e de várias maneiras, quando é rejeitado.

A autora de Academia de Vampiros, Richelle Mead, traz-nos a história de uma jovem vampira que está a fugir da sua espécie e do rapaz humano que põe à sua disposição o carro em que ela pode escapar… e um motivo para continuar a fugir.

Nancy Holder, autora da serie Wicked, leva-nos a uma Nova Iorque pós-apocalíptica onde dois grandes amigos são obrigados a tomar uma decisão que pode matá-los.

Rachel Vincent explora um novo ângulo da sua série Soul Screamers com a história de uma leanan sidhe capaz de inspirar o músico que ama e de aumentar a sua criatividade… secando-o.

A celebrada autora de histórias fantásticas, Tanith Lee, mostra-nos o que acontece quando uma jovem inteligente e com alguns conhecimentos sobrenaturais encontra um jovem vampiro desorientado (mas encantador).

E Kristin Cast, coautora da série House of Night, apresenta-nos a uma nova espécie de vampiro, com raízes na mitologia grega e o poder de alterar o espaço e o tempo para salvar a rapariga que o destino quer que ele ame.

Portanto… que raio se passava convosco, adolescentes e vampiros? Hum?! Está bem, eu tenho as minhas suspeitas. Como acontece a qualquer adulto suficientemente amadurecido e racional, com mais de trinta anos, e que também seja pai ou mãe, a minha inclinação natural é acreditar que esse fascínio tenha a ver com… bem, com… sexo. Quer dizer, vá lá!

Mas, ao dar alguns passos nesta viagem à minha memória, sinto que devo dizer mais do que apenas a minha idade. Se quiser ser sincera comigo própria e convosco, devo acrescentar que o fascínio do vampiro é muito mais complexo do que o mero desejo sexual. A verdade é que a atração inspirada pelo vampiro vai muito além das hormonas enfurecidas e das emoções muito básicas.

Agora, venham comigo, está bem? Vamos entrar, outra vez, no reino dos imortais.

Quando se é imortal, o verdadeiro amor é mesmo para sempre

Rachel Caine regressa ao cenário da sua série de vampiros de Morganville, cidade onde mandam os vampiros e o amor é uma iniciativa de risco, mesmo quando se trata da própria família.

A autora de Tantalize, Cynthia Leitich Smith, oferece-nos um triângulo amoroso entre um vampiro, um fantasma e uma rapariga humana que ninguém é o que parece ser

Claudia Gray leva-nos ao mundo da sua série Evernight, em que uma futura concubina é alvo das atenções de um homem pálido e de cabelo castanho, que pode ser demasiado perigoso, e de várias maneiras, quando é rejeitado.

A autora de Academia de Vampiros, Richelle Mead, traz-nos a história de uma jovem vampira que está a fugir da sua espécie e do rapaz humano que põe à sua disposição o carro em que ela pode escapar… e um motivo para continuar a fugir.

Nancy Holder, autora da serie Wicked, leva-nos a uma Nova Iorque pós-apocalíptica onde dois grandes amigos são obrigados a tomar uma decisão que pode matá-los.

Rachel Vincent explora um novo ângulo da sua série Soul Screamers com a história de uma leanan sidhe capaz de inspirar o músico que ama e de aumentar a sua criatividade… secando-o.

A celebrada autora de histórias fantásticas, Tanith Lee, mostra-nos o que acontece quando uma jovem inteligente e com alguns conhecimentos sobrenaturais encontra um jovem vampiro desorientado (mas encantador).

E Kristin Cast, coautora da série House of Night, apresenta-nos a uma nova espécie de vampiro, com raízes na mitologia grega e o poder de alterar o espaço e o tempo para salvar a rapariga que o destino quer que ele ame.

publicado por marcia às 22:04
link do post | comentar | favorito
|

Novidade 1001 Mundos Setembro - O Medo do Homem Sábio

 -
 

“Chamo-me Kvothe. Resgatei princesas dos túmulos de reis adormecidos, incendiei Trebon. Passei a noite com Felurian e parti com a sanidade e com a vida. Fui expulso da Universidade na idade em que a maioria dos alunos é admitida. Percorri caminhos ao luar que outros  receiam nomear durante o dia. Conversei com deuses, amei mulheres e  compus canções que fazem chorar os trovadores. É possível que me conheçam.”

Assim se inicia uma história sem igual na literatura fantástica, a história de um  herói contada pela sua própria voz. É uma história de mágoa, uma história de  sobrevivência, a história de um homem que busca o sentido do seu universo e de como essa busca e a vontade indomável que a motivou fizeram nascer uma lenda.

Agora em O Medo do Homem Sábio, Dia Dois das Crónicas do Regicida, uma rivalidade crescente com um membro da nobreza força Kvothe a deixar a Universidade e a procurar a fortuna longe. À deriva, sem um tostão e sozinho, viaja par Vintas, onde, rapidamente, se vê enredado nas intrigas políticas da corte. Enquanto tenta cair nas boas graças de um poderoso Nobre, Kvothe descobre uma tentativa de assassínio, entra em confronto com um Arcanista rival e lidera um grupo de mercenários, nas terras selvagens, para tentar descobrir quem ou o quê está a eliminar os viajantes na estrada do Rei.

Ao mesmo tempo, Kvothe procura respostas, na tentativa de descobrir a verdade sobre os misteriosos Amyr, os Chandrian e a morte da sua família. Ao longo do caminho Kvothe é levado a julgamento pelos lendários mercenários Adem, é forçado a defender a honra dos Edema Ruh e viaja até ao reino de Fae. Lá encontra Felurian, a mulher fae a que nenhum homem consegue resistir, e a quem nenhum homem sobreviveu… até aparecer Kvothe.

Em O Medo do Homem Sábio, Kvothe dá os primeiros passos no caminho do herói e aprende o quão difícil a vida pode ser quando um homem se torna uma lenda viva.

publicado por marcia às 21:54
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 28 de Agosto de 2011

A Noite de Todas as Almas - Deborah Harkness - Opinião

 

“A Noite de todas as Almas” é uma versão um pouco negra de uma história de encantar, igualmente envolvente e avassaladora, talvez até mais emocionante.

São incontáveis os títulos publicados recentemente sobre vampiros: no geral são histórias relativamente simples e objectivas orientadas para um público jovem. É obviamente um tema tentador para quem gosta de histórias longas, ou não vivessem os vampiros durante séculos. A verdade é que poucos ou nenhuns livros tenho lido sobre esta temática, se calhar porque todos me soam a umas historietas descartáveis, a partir das quais se fazem filmes ainda mais descartáveis, com actores de quem já ninguém se lembra.

Mas durante a leitura de “A Noite de Todas as Almas” experimentei um prazer que poucos livros proporcionam: senti que se entranhou em mim, que acompanhava os meus pensamentos mesmo nas pausas da leitura. Se por um lado foi como voltar às histórias da infância, cheias de magia e outros impossíveis que só a leitura e a imaginação podem tornar possíveis, por outro lado é um livro para adultos, com personagens cativantes que vivem na nossa realidade, trabalham e levam as suas profissões a sério. Senti que tudo era muito credível, deixei-me convencer com muita facilidade da existência de tais criaturas e da sua co-habitação connosco, humanos.

Este fantástico conto de fadas pode ser chamado de “conto de bruxas”; temos o príncipe no cavalo branco que vem salvar a princesa? Lá ter temos, mas um bocadinho diferente. Temos um vampiro com 1500 anos que se apaixona por uma bruxa, tudo isto nos tempos actuais. As mulheres já não ficam à espera do cavaleiro branco e as bruxas (eu não acredito mas que as há, há) são mulheres independentes dos homens, com poderes oriundos das mais misteriosas leis da natureza. Resumindo temos Diana, uma bruxa independente e uma profissional de sucesso, que se apaixona por Mathew, um Vampiro de 1500 anos, poderoso e experiente, habituado a ser líder.

Magia, Ciência e História estão sempre lado a lado neste livro. Diana é historiadora e o seu caminho cruza-se com o de Mathew numa bibliteca em Oxford, quando esta “acorda” um manuscrito medieval. Diana sabe que é bruxa mas sempre renegou ao seu dom. Nesse dia a sua vida muda e terá de aprender a lidar com toda a espécie de criaturas que sempre quis manter afastadas. Será que se pode escapar ao destino? Ou será que Diana sempre seguiu o percurso traçado, mesmo quando pensava que se afastava da sua natureza?

Foi difícil não me deixar fascinar por tais criaturas das trevas, amantes dos livros e do saber, possuidoras de espantosas bibliotecas. Uma princesa que é uma bruxa fascinada por um príncipe de 1500 anos, detentor de um nível de conhecimentos fruto de séculos de estudos e de experiência de “vida”. Mathew é, como em todas as descrições feitas até hoje de vampiros, um sedutor. Um homem inteligente e sedento de um saber, que as pesquisas e os estudos desenvolvidos ao longo de séculos não acalmaram. Para uma historiadora é um sonho. Versão intelectual da Cinderela ou Bela Adormecida? Claro, para mulheres exigentes que vêm para além do príncipe encantado, mas que talvez ainda sonhem com o “viveram felizes para sempre…”.

Difícil foi parar de ler, doloroso chegar à página final e querer mais. A autora já está a braços com o livro seguinte, até lá resta esperar suspirando de vez em quando pelo amor de Diana e Mathew…

Farei no entanto alguma pesquisa sobre Deborah Harkness pois fiquei (também) encantada com as suas (de Mathew) descrições de vinhos. Parece que este é um dos seus grandes interesses. Eu acho que, a julgar pelas suas espantosas descrições dos diferentes néctares presentes na história, se trata de uma grande paixão.

Resta-me referir a espantosa capa, com uns reflexos “mágicos”, muito bem conseguida e espantosamente adequada ao conteúdo.

Apenas me desiludi com o título da tradução portuguesa. “A Noite de Todas as Almas” fica muito aquém do original “A Discovery of Witches”, quanto a mim perfeito para o que não é mais do que a descoberta de Diana: o seu poder e aceitação do seu dom.

Recomendo. Vai fascinar os apreciadores de histórias de encantar adormecidos. Não o somos todos?

“- A que cheiro eu? – perguntei, brincando como pé do meu copo de vinho.

Por uns momentos pareceu-me que ele não ía responder. O silêncio estendeu-se até me olhar com uma expressão  anelante. Deixou tombar as pálpebras e inspirou profundamente.

-Cheira a seiva de salgueiro. E a camomila esmagada sob os pés. – Cheirou de novo e esboçou um pequeno sorriso triste. – Tem também alguns vestígios de madressilva e folha de carvalho tombadas – acrescentou em voz baixa, expirando – em conjunto com rebentos de avelã e os primeiros narcisos primaveris. E coisas antigas: marroio, incenso, pé-de-leão. Aromas que pensava já ter esquecido.

Abriu os olhos sem pressas e eu olhei para as suas cinzentas profundidades, receando respirar e quebrar o feitiço que as palavras dele haviam lançado.

-E eu? – devolveu ele a pergunta, sem desviar os olhos dos meus.

- Canela. – A minha voz era hesitante. – E cravinho. Por vezes parece-me que cheira a cravos, não do tipo que se compra na florista, mas os antigos, que crescem nos jardins das casas rurais inglesas.

- Cravos silvestres. – disse Mathew, os olhos enrugando-se de satisfação nos cantos. – Nada mau para uma bruxa.” (p. 183)

Sinopse

“Num final de tarde de Setembro, quando a famosa historiadora de Yale, Diana Bishop, abre casualmente um misterioso manuscrito medieval alquímico há muito desaparecido, o submundo mágico de Oxford desperta. Vampiros, bruxas e demónios farão tudo para possuir o manuscrito que se crê conter poderes desconhecidos e pistas misteriosas sobre o passado e o futuro dos humanos e do mundo fantástico.  Diana vê a sua pacata vida de investigadora invadida por um passado que sempre tentou esquecer: ela é a última descendente da família Bishop, uma longa e distinta linhagem de bruxas de Salem, marcada pela morte misteriosa dos pais quando era criança. E do meio do turbilhão de criaturas mágicas despertadas pela redescoberta do manuscrito surge Matthew Clairmont, um vampiro geneticista de 1500 anos de idade, apaixonado por Darwin. Juntos vão tentar desvendar os segredos do manuscrito e impedir que caia em mãos erradas. Mas a paixão que cresce entre ambos ameaça o frágil pacto de paz que existe há séculos entre humanos e criaturas fantásticas... e o mundo de Diana nunca mais voltará a ser o mesmo...”

Casa das Letras, 2011

publicado por marcia às 19:26
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011

Albatroz - Auto-Ajuda - 'Mulheres que amam de mais'

 

A Albatroz publica, no dia 1 de setembro, Mulheres que amam de mais, de Robin Norwood, um bestseller do New York Times que já ajudou milhões de mulheres em todo o mundo a viver uma relação saudável e feliz.

«Quando estar apaixonada significa sofrer, estamos a amar de mais. Quando a maioria das nossas conversas com amigos íntimos são sobre ele, sobre os problemas dele, os pensamentos dele, os sentimentos dele – e quando quase todas as nossas frases começam por “ele…”, estamos a amar de mais.

Quando desculpamos o seu mau humor, os ataques de mau génio, a indiferença ou as respostas tortas como sendo problemas causados por uma infância infeliz, e tentamos tornar-nos na sua psicóloga, estamos a amar de mais.

Quando muitos dos seus traços de personalidade, valores e comportamentos essenciais não nos agradam, mas os toleramos pensando que se formos suficientemente atraentes e carinhosas ele há de querer mudar por nós, estamos a amar de mais.

Quando a nossa relação prejudica o nosso bem-estar emocional e talvez mesmo a nossa saúde física e a nossa segurança, estamos definitivamente a amar de mais.» (excerto do Prefácio)

O LIVRO

O bestseller do New York Times que transformou a vida de milhões de mulheres em todo o mundo!

 Apaixona-se continuamente por homens perturbados, distantes, temperamentais – e acha que os «bons rapazes» são todos aborrecidos?

 É obcecada por homens emocionalmente indisponíveis, dependentes do trabalho, de hobbies, do álcool ou de outras mulheres?

 Põe de parte os seus amigos e os seus próprios interesses para estar disponível sempre que ele quer?

 Sente um vazio quando não está com ele, mesmo que os momentos passados juntos sejam um tormento?

O trabalho pioneiro de Robin Norwood em Mulheres que amam de mais permitirá que reconheça as causas do padrão destrutivo que conduz a relacionamentos fracassados e, através de testemunhos reveladores, oferece linhas de orientação para que seja capaz de redescobrir a confiança em sim mesma e construir uma relação saudável, feliz e duradoura.

A AUTORA

Robin Norwood exerceu a profissão de conselheira matrimonial, psicoterapeuta familiar e infantil, tendo-se especializado no tratamento de alcoólicos e toxicodependentes. Mulheres que amam de mais obteve um sucesso ímpar, com mais de três milhões de exemplares vendidos e uma longa presença no topo da lista de livros mais vendidos do New York Times. Em diversos países foram criados grupos de entreajuda com base nos conceitos deste livro.

Atualmente Robin Norwood dedica-se a participar, um pouco por todo o mundo, em conferências subordinadas ao tema dos relacionamentos e dependências

Título: Mulheres que amam de mais

Autores: Robin Norwood

Tradução: Isabel Alves

Págs: 288

PVP: 16,60 €

publicado por marcia às 00:52
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Granta Portugal 9 - Comer...

. A Oeste Nada de Novo - Er...

. Casa das Letras - Seja fe...

. Um segredo bem guardado -...

. Novidade Sextante Editora...

. Vozes de Chernobyl - Svet...

. Revista Inominável #8

. A Minha Feira do Livro de...

. Exposição Book Loving Gir...

. O Desafio de superar o ob...

.últ. comentários

Olá Márcia!Este é um dos grandes clássicos e escri...
Olá Márcia,Tenho este empréstimo cá em casa para l...
Penso que merece uma segunda oportunidade!
Obrigada, Ana!Estaremos à tua espera.
Avança! Emoções não faltarão!
Quando comecei a lê-lo no ano passado, senti que n...
"Chamava-se Sara" é um livro extraordiná...
Merece sim!
É um candidato a uma releitura, pois sei que merec...
Também li há bastantes anos "Chamava-se Sara" e ad...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

.gosto

blogs SAPO

.subscrever feeds