Sábado, 30 de Julho de 2011

Um Ano à Beira-mar - Joan Anderson - Opinião

 

Este é um exemplo perfeito de um livro que eu não teria iniciativa para ler. Por sorte há ocasiões em que são os livros que nos escolhem e não o oposto.

Não me identifico com a vida desta mulher. Joan vive cansada de se dedicar à família e de se colocar sempre em segundo plano. Inevitavelmente chega o dia em que a situação atinge o seu limite e ela deixa tudo para se reencontrar.

É sem dúvida uma ideia belíssima a de dar uma reviravolta e partir em busca do “El Dorado”, mas não teria sido melhor para todos que Joan tivesse sabido dosear a dedicação e amor aos outros guardando sempre algo para si?

A  realidade de Joan é comum a muitas mulheres que, por quererem à força ser “super-mulheres” se esgotam e perdem a direcção. Por isso me deixei levar pelas páginas deste pequeno livro. Gostei de conhecer a força escondida nos anos que Joan viveu na sombra da família que (ainda) ama, mas que necessita de (finalmente) avaliar de fora.

Esta é a viagem de Joan em busca do que deixou para trás, a procura da sua identidade e da força para mudar.

Numa época em que os livros de auto-ajuda são um caso de sucesso, gostei de conhecer uma outra perspectiva: um livro que pode ajudar com base numa experiência verdadeira,contada como se fosse um romance.

“Enquanto aqui estou sentada e saboreio a paisagem, penso no pouco que é preciso para existir, como uma vida simples pode ser, até que ponto é agradável pensar apenas nas necessidades, eliminado os luxos.” (Pág.186)

Sinopse

“Um Ano À Beira-Mar conta-nos a história fascinante de como uma mulher emergiu da estagnação com a energia de preservar e a coragem para recriar a sua vida. Joan Anderson e o marido casaram cedo, criaram dois filhos e viveram em aparente harmonia -ele a servir de principal ganha-pão, ela a dividir-se entre uma carreira de escritora e a tarefa de gerir a casa e a família. Não obstante a sua aparência feliz, Joan veio a perceber que, inconscientemente, havia sacrificado várias facetas de si própria para satisfazer as expectativas que o tradicional papel de mulher e mãe depositavam em si. Num esforço para se libertar destes encargos indesejados, decidiu retirar-se para a casa de praia da família para uma renovação espiritual. Do seu ano mágico, difícil, transformador, nasceu este livro, um registo de experiencias e um tesouro de sabedoria para os leitores.”

Clube do Autor, 2011

publicado por marcia às 19:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Civilização publica A Decisão Final do Major Pettigrew de Helen Simonson

 

O Major Ernest Pettigrew não está interessado nas frivolidades do mundo moderno. Desde a morte da mulher, Nancy, que ele tenta evitar as coscuvilheiras da aldeia, o seu ganancioso filho e a cada vez mais evidente suburbanização do campo inglês, preferindo levar uma vida calma defendendo os valores tradicionais pelos quais as pessoas se regem há várias gerações.

Mas quando a morte do irmão desencadeia uma amizade inesperada com a Sr.ª Ali, uma viúva paquistanesa, dona da loja da aldeia, o Major é arrastado do seu mundo disciplinado e forçado a confrontar as realidades da vida no século XXI. Unidos pelo amor à literatura e pela perda dos respetivos cônjuges, o Major e a Sr.ª Ali cedo descobrem que a sua amizade se está a transformar em algo mais profundo. Mas, embora o Major tenha nascido em Lahore e a Sr.ª Ali em Cambridge, a sociedade da aldeia insiste em considera-lo, a ele, como um verdadeiro inglês e a ela como uma permanente estrangeira. O Major sempre teve um orgulho especial na sua aldeia, mas como irão os caóticos acontecimentos recentes afetar a sua relação com o local que ele considera o seu lar?

Escrito com uma perceção aguda e um encantador sentido de humor, este livro é uma história de amor enternecedora com um inesquecível elenco de personagens, e questiona o que cada um deve sacrificar da sua felicidade pessoal a favor das obrigações familiares e dos valores tradicionais.

A Decisão Final do Major Pettigrew é o romance de estreia de Helen Simonson, que chega a Portugal com os aplausos da crítica internacional e com o estatuto de bestseller.

“Uma bonita história de amor, contada com humor e sabedoria”, escreve o New York Times Book Review. Já o The Times assegura que o livro A Decisão Final do Major Pettigrew é “Suave e encantador, mas estas palavras não conseguem transmitir o doce prazer de ler este romance”. Porém, os adjetivos elogiosos ao primeiro romance de Simonson não se ficam por aqui. “Uma estreia encantadora, divertida e cativante”, diz o Daily Mail, enquanto a Publishers Weekly escreve: “Encantador romance de estreia.”

O Christian Science Monitor chega a comparar a autora a Jane Austen, uma das grandes referências da literatura britânica. O certo é que A Decisão Final do Major Pettigrew é uma lindíssima história de amor, que, nos Estados Unidos, entrou diretamente para os principais tops de vendas: número catorze da reputada lista NY Times Bestseller, número três do Indiebound, que representa as livrarias americanas independentes, e número nove do Washington Post.

Helen graduou-se pela London School of Economics e trabalhou como publicitária de viagens. Recentemente, completou um MFA na Stony Brook Southampton. Os seus contos e ensaios são editados em diversas publicações. Este é o seu primeiro romance.

Mais informações sobre a autora em: http://www.helensimonson.com/

Título: A Decisão Final do Major Pettigrew

Autora: Helen Simonson

Título original: Major Pettrigrew’s Last Stand

Tradução: Ana Figueira

Páginas: 400

Encadernação: Capa mole

Família: Literatura

PVP: 17,90 €

Lançamento: Agosto de 2011

publicado por marcia às 10:01
link do post | comentar | favorito
|

Civilização publica Adrenalina de Jeff Abbott

 

Sam Capra está a viver a vida dos seus sonhos. Um jovem americano em Londres, tem um apartamento perfeito, um emprego perfeito na CIA e uma esposa perfeita, Lucy, que está grávida de sete meses do seu primeiro filho.

Mas, num dia de sol, tudo se desmorona. Sam recebe uma chamada de Lucy enquanto está a trabalhar. Ela diz-lhe para sair imediatamente do edifício. Ele sai momentos antes de o edifício explodir, matando todos os que estão lá dentro. Lucy desaparece e Sam acorda numa cela de prisão. Porque é que Lucy lhe telefonou? Seria ela uma esposa apaixonada ou uma agente inimiga? O seu filho, que ainda não nasceu, estará a salvo?

Com a adrenalina a correr-lhe nas veias, Sam entra numa corrida frenética para salvar a vida e descobrir a verdade sobre aqueles que pensava conhecer tão bem.

Adrenalina é o mais empolgante romance de Jeff Abbott desde o tremendo bestseller Pânico.

A crítica ao novo romance de Abbott é tão entusiasmante como as suas histórias. “Um livro que transforma um dia tranquilo na praia numa perseguição a alta velocidade por vielas escuras”, garante o The Times. Segundo a Booklist, Adrenalina é “Um thriller à beira da perfeição […] Qualquer pessoa que goste de emoções fortes vai aplaudir a chegada do último mestre da arte refinada que é fazer um livro que não se consegue parar de ler. Altamente recomendado”.

Os títulos Pânico, Colisão, Confia em mim e Medo, todos publicados pela Civilização, tiveram uma grande aceitação em Portugal e internacionalmente. No caso de Pânico, além de ter sido um enorme bestseller internacional, foi considerado um dos melhores livros do ano em que foi publicado (2007). Os dois primeiros livros, Pânico e Colisão, vão ser adaptados ao cinema.

Jeff Abbott foi nomeado para três Edgar Awards e também para dois Anthony Awards. Escreveu treze romances incluindo Pânico, Medo, Colisão, e Confia em Mim. É casado e vive com a família em Austin, no Texas.

Mais informações sobre o autor: http://jeffabbott.com/

Título: Adrenalina

Autor: Jeff Abbott

Título original: Adrenaline

Tradução: Helena Serrano

Páginas: 496

Encadernação: Capa mole

Família: Literatura

PVP: 17,90 €

Lançamento: Agosto de 2011

publicado por marcia às 09:57
link do post | comentar | favorito
|

Sessões de Autógrafos autores Esfera dos Livros - AGOSTO

30 de Julho, 17h00 – Sessão de autógrafos com João Miguel Tavares, autor de Os Homens Precisam de Mimo. Bertrand do C. C. Allegro de Castelo Branco

30 de Julho, 16h30 – Continente do Colombo

30 de Julho, 21h30 – Sessão de autógrafos com João Miguel Tavares, autor de Os Homens Precisam de Mimo. Galeria/Cafetaria Municipal de Proença-a-Nova. Parque Urbano Comendador João Martins

1 de Agosto, 21h30 – Sessão de autógrafos com Joana Roque, autora do livro Feito em Casa. Feira do livro de Peniche

5 de Agosto, 18h30 – Continente da Guia

6 de Agosto, 21h30 – Sessão de autógrafos com Joana Roque, autora do livro Feito em Casa. Feira do livro de Sesimbra

6 de Agosto, 22h00 – Sessão de autógrafos com João Miguel Tavares, autor de Os Homens Precisam de Mimo. Feira do Livro de Portimão

6 de Agosto, 22h00 – Feira do Livro de Portimão

7 de Agosto, 17h00 – Sessão de autógrafos com Joana Roque, autora do livro Feito em Casa. Feira do livro da Ericeira

10 de Agosto, 19h00 – Apresentação do livro Viagens Contadas de Maria João Ruela. Rotary Club da Murtosa. Estalagem Riabela- Torreira  

12 de Agosto, 18h30 – Jumbo de Faro

13 de Agosto, 22h00 – Feira do Livro de Quarteira

19 de Agosto, 21h30 – Centro Autárquico da Quarteira

20 de Agosto, 22h00 – Feira do Livro de Portimão

27 de Agosto, 18h00 – Sessão de autógrafos com Joana Nobre Garcia autora de Costura Mania. Feira do Livro da Ericeira

publicado por marcia às 09:47
link do post | comentar | favorito
|

Novidade Chá das Cinco para Agosto - Do Fundo do Coração - Nora Roberts

 

No início da sua carreira, Nora Roberts escreveu três histórias inspiradoras que a tornaram conhecida como uma das vozes mais românticas

da actualidade. Nesta colectânea apresentamos:

Uma Última Noite, a história de Kasey, uma antropóloga que conhece Jordan, um escritor a fazer pesquisa para o seu próximo romance. Kasey e Jordan terão que lidar não só com os sentimentos que nutrem um pelo outro, mas com a sobrinha de Jordan, uma órfã solitária.

Em Uma Questão de Escolha, o polícia James Sladerman tem a missão de investigar a loja de antiguidades de Jessica Winslow, onde existe a suspeita de roubo e tráfico de objectos de grande valor. O que Sladerman não esperava era sentir uma atracção cada vez mais forte pela mulher que tem de proteger a todo o custo.

Em Fins e Recomeços, Liv é uma jornalista de Washington que trabalha para o jornal local enquanto Thorpe é repórter num dos maiores diários nacionais. O trabalho que partilham torna apenas mais forte a química entre ambos, mas Liv já foi magoada no passado e não deseja voltar a render-se a nenhum homem. O que ela não descobriu ainda é que Thorpe não aceitará um não como resposta.

publicado por marcia às 09:40
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Julho de 2011

Aquele Verão em Paris - Abha Dawesar - Opinião

 

Este livro é um daqueles casos típicos de amor/ódio, do género “primeiro estranha-se depois entranha-se”. A princípio não me interessou particularmente, não captou a minha atenção. No entanto prossegui a leitura, coisa que habitualmente não faço quando um livro não me interessa – facilmente deixo um livro de lado sem remorsos nem culpas, que a vida é curta e não faltam livros para ler!

Acontece que me senti como que enfeitiçada. Mesmo lendo sem reter e sem estar muito atenta à história, deixei-me embalar pela escrita. Acho que foi isso, parecia que ouvia uma música deliciosa mesmo sem saber a letra.

A dada altura houve um click e fui arrebatada também pela história, pelas personagens, pelo seu passado e presente, pelas suas dúvidas e desejos. A última metade do livro foi lida praticamente de seguida, quando acabei vi que era noite.

Para mim este livro é uma história de amor à escrita. Prem tem 75 anos, é um escritor conceituado, ganhou o Prémio Nobel. Maya tem 25 anos, adora todos os livros de Prem e deseja escrever. Uma série de casualidades (ou talvez não) levam a que os dois se conheçam e viajem para Paris. A história de “amor” entre eles não assumiu para mim muita importância, até porque até ao fim do livro assistimos às muitas aproximações e recuos entre os dois. O que apreciei mesmo foi conhecer os episódios do passado de Prem, as situações que o levaram a escrever. O modo como são expostas levam-nos a compreender todo um processo de escrita, a forma como situações do quotidiano são trabalhadas e surgem num livro, ou seja, a arte de “roubar” a realidade e usar a criatividade (e o talento já agora) para escrever.

Desde a infância de Prem, passando pelos amores e obsessões, tudo foi por ele esmiuçado e trabalhado, os seus livros são a sua vida, o espelho do que sentiu em dada altura. Escrever é uma história de amor, de persistência e de busca constante. Prem soube fazer da sua vida a sua inspiração, de influências criou personagens, de casualidades fez eventos. Só não soube, ao que parece, escrever sobre sexo. Se calhar é o que lhe falta neste ponto da sua vida e da sua carreira, aperfeiçoar a arte de escrever sobre sexo, algo em que é experiente mas que lhe dá dificuldades em passar para o papel. Será que Maya lhe vai permitir corrigir essa única “falha” como brilhante escritor? E se o conseguir? Se ultrapassar esse obstáculo o que terá ainda para fazer? O que resta quando tudo estiver feito?

Não conhecia Abha Dawsear, nunca tinha ouvido falar do seu trabalho. Lamento que um livro tão bom como este (e como este haverá outros) não seja alvo de uma forte campanha de divulgação. A capa pode não ser das mais bonitas ou apelativas, mas são as letras que nos emocionam. Abha Dawesar sabe explorar os sentidos, deixou-me com as emoções à flor da pele.

Gostei muito das seguintes passagens:

“O nosso trabalho enquanto escritores é sempre maior do que nós. É um buraco enorme no qual achamos que cabemos, mas onde afinal descobrimos que nos perdemos.”

“Compreendia instintivamente o que significava ser escritor, a loucura, la souffrance, a liberdade desenfreada contida nas páginas da sua própria obra, e a guerra interior que uma pessoa tinha de travar constantemente.” (pág.95)

Sinopse

“Parece improvável que um solitário de 75 anos, cansado de viver e isolado do mundo, conheça uma jovem de 25 anos na Internet. Mais improvável ainda que ele seja um escritor laureado com o Prémio Nobel da Literatura e ela uma vibrante aspirante a romancista. No entanto, quando ela revela o seu fascínio por Paris, para onde decide partir na esperança de terminar o seu livro, ele segue-a. E, ao longo de um indolente e sensual Verão, numa sedução animada por uma paixão comum pela arte, Paris e a gastronomia francesa, os dois escritores exploram os limites do prazer e da criatividade.
Com um estilo e ritmo únicos, Aquele Verão em Paris é uma reflexão sobre a forma como a arte e o amor estão intrínseca e visceralmente ligados.”

Asa, 2009

publicado por marcia às 20:02
link do post | comentar | favorito
|

Civilização publica O Lago dos Sonhos de Kim Edwards

 

Depois de vários anos no estrangeiro, Lucy regressa a casa. Encontrando-se numa encruzilhada na sua vida, sente-se perseguida pela morte misteriosa do pai, que ocorreu há uma década. Certa noite, já tarde, descobre uma coleção de objetos que, à primeira vista, parecem simples curiosidades, mas que depressa irão revelar uma complexa história familiar. Com constantes surpresas e cheio de detalhes vibrantes, o novo romance de Kim Edwards, O Lago dos Sonhos, é uma saga poderosa e envolvente, capaz de cativar os milhões de leitores que apreciaram Segredos de Família.

Um dos grandes lançamentos do 2011 e uma história aclamada pela crítica internacional, O Lago dos Sonhos é o segundo romance da conhecida autora publicado pela Civilização. “Uma trama muito bela numa narrativa de cortar a respiração; a obra de uma escritora extraordinária”, assegura o Daily and Sunday Express. Já o Irish Independent, escreve: “Apaixonei-me por Lucy […] e a sua luta para se enfrentar a si própria e à sua felicidade mantiveram-me preso até ao fim”.

O seu primeiro romance, Segredos de Família (Junho 2007), foi um grande sucesso em Portugal e a nível internacional, tendo vendido mais de três milhões de exemplares, entrado diretamente para a reputada lista de vendas New York Times Bestseller e recebido o Sainsbury's Popular Fiction Award nos British Book Awards de 2008.

Além de Segredos de Família, Kim Edwards é a autora de Um Brilho no Escuro, finalista do PEN/Hemingway Award de 1998. Edwards foi ainda galardoada com o Whiting Award e o Nelson Algren Award. Após viver vários anos na Ásia e dar aulas na Malásia, Tóquio, Phnom Penh e Cambodja, é atualmente professora assistente de Inglês na Universidade de Kentucky.

Mais informações em: http://www.kimedwardsbooks.com/

SINOPSE

Depois de vários anos no estrangeiro, Lucy regressa a casa. Encontrando-se numa encruzilhada na sua vida, sente-se perseguida pela morte misteriosa do pai, que ocorreu há uma década. Certa noite, já tarde, enquanto deambula pela enorme casa familiar na margem de um lago, descobre, escondida no assento de uma janela, uma coleção de objetos que, à primeira vista, parecem simples curiosidades, mas que depressa irão revelar uma complexa história familiar.

As saudades do passado, avivadas pelo reencontro com o seu primeiro grande amor, conduzem-na a situações inesperadas. Lucy descobre e explora os contornos do seu passado. A história da família como ela a conhecia é destruída – e, depois, dramaticamente reconfigurada, animando-a a viver com uma liberdade que ela nunca tinha experimentado antes.

Com constantes surpresas e cheio de detalhes vibrantes, O Lago dos Sonhos é uma saga poderosa e envolvente, que seguramente vai cativar os milhões de leitores que adoraram Segredos de Família.

Título: O Lago dos Sonhos

Autora: Kim Edwards

Título original: The Lake of Dreams

Tradução: Maria Beatriz Sequeira

Páginas: 448

Encadernação: Capa mole

Coleção: Literatura

PVP: 17,90 €

Lançamento: Agosto de 2011

publicado por marcia às 00:25
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Julho de 2011

Nunca te Esqueci - Michael Baron - Opinião

 

Gostei muito deste romance. Uma história densa que se descobre devagar. Página a página vemos a realidade pelos olhos de Hugh, a sua vida nos últimos 10 anos.

Com a morte de Chase, irmão de Hugh, a vida familiar sofreu um golpe do qual não recuperou. Hugh sente-se culpado. Passou os últimos 10 anos a viver uma vida errante por achar que podia ter evitado o acidente que levou o irmão para sempre.

A vida de Hugh muda quando a doença do pai o obriga a regressar a casa. Contrariado, substitui o pai à frente do negócio de família e apoia os pais o melhor que consegue. Esta situação proporciona o reencontro com Iris, a namorada de Chase na altura da sua morte. Por vezes a vida tem formas estranhas de nos mostrar o caminho certo e, aos poucos, Hugh vai ganhando gosto pelo trabalho na loja do pai. Os encontros com Iris tornam-se regulares, apoiam-se mutuamente e partilham a dor da perda de Chase. Surgem os segredos até então bem guardados, a dor e depois o apaziguamento. Poderão Iris e Hugh mudar as suas vidas e ultrapassar o passado?

Nicholas Sparks é mencionado na capa. Já não leio um livro do Nicholas Sparks à algum tempo mas não achei mutas semelhanças, “Nunca te esqueci” é uma história de esperança e do “agarrar” as segundas oportunidades. É a vida de Hugh e a sua tentativa para ser feliz. A sua procura da serenidade.

Um livro que se lê com calma, uma escrita suave que se saboreia. Um romance belíssimo.

Sinopse

“Hugh Penders viveu num estado de apatia durante quase uma década, desde que o seu irmão Chase morreu num acidente de viação. Transporta no íntimo dois segredos que nunca foi capaz de partilhar com ninguém: acredita que poderia ter sido capaz de evitar o acidente e está profundamente apaixonado por Iris, a namorada de Chase.
Quando o pai de Hugh sofre um grave ataque cardíaco, Hugh tem de regressar à sua casa em Nova Inglaterra, de onde andara a fugir nos últimos dez anos. Um dia, encontra Iris - que se mudara havia muito tempo - na rua. Iniciam uma amizade e Hugh acredita que está a apaixonar-se novamente por ela.
Contudo, o fantasma de Chase paira sobre ambos. E, quando cada um deles revela uma verdade que o outro desconhecia, as suas vidas, a perspectiva que tinham de Chase, e as suas oportunidades de um futuro conjunto mudarão para sempre.
Imbuído da força do desejo e do impacte da perda, Nunca te Esqueci é uma narrativa comovente e romântica que emocionará profundamente o leitor.”

Quinta Essência, 2011

publicado por marcia às 00:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 23 de Julho de 2011

Novidade Dom Quixote Agosto - A Guerra dos Mascates - Miguel Real

 

Recuperando e desenvolvendo a obra homónima de José de Alencar escrita no século XIX – da qual ressuscita personagens que cruza com ícones históricos e algumas das figuras permanentes dos seus «romances brasileiros», Miguel Real oferece-nos com A Guerra dos Mascates a narrativa de um confronto entre pequenos comerciantes e aristocratas que mobilizou a totalidade da população das cidades de Recife e Olinda no século XVIII.

Amor romântico e ódio colectivo, febre de fé e febre de dinheiro, dignidade social e vingança pessoal, conjugam-se na descrição de personalidades inesquecíveis do cândido ao malévolo para compor um romance deliciosamente irónico que confirma Miguel Real como um dos mais portentosos ficcionistas da actualidade.

Nas livrarias a 29 de Agosto

publicado por marcia às 21:56
link do post | comentar | favorito
|

Novidade Dom Quixote Agosto - Hoje Preferia não Me Ter Encontrado - Herta Müller

 

Na viagem de eléctrico que a leva às instalações da Polícia Secreta, hora marcada, dez em ponto, a jovem narradora vê a sua vida passada em revista: a infância na cidade de província, a fixação semierótica no pai, a deportação dos avós, o casamento ingénuo com o filho do «comunista perfumado», a felicidade precária que vive com Paul, apesar do fardo que a bebida impõe ao amor que ela lhe dedica.

Quase chegada ao destino, levanta-se de repente uma altercação no carro eléctrico que leva o guarda-freio a saltar precisamente a paragem em que devia sair. Vê-se numa rua desconhecida, onde descobre Paul com um velho de aspecto suspeito. Decide então não comparecer ao interrogatório.

Nas livrarias a 29 de Agosto

publicado por marcia às 21:52
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O Ano da Dançarina - Carl...

. Minotauro - O Homem que D...

. Os Desafios da Europa – U...

. Rapariga em Guerra - Sara...

. O Leitor do Comboio - Jea...

. A Breve e Assombrosa Vida...

. Revista Inominável #7

. A verdade sobre o caso Ha...

. Marcador - O Ano da Dança...

. A Serpente do Essex - Sar...

.últ. comentários

Uhm, interessante... Paula
Atenção que a Dançarina pode ter um significado di...
É verdade! Vêm aí muitas coisas boas! Deixo também...
Nunca li nada desta autora, mas deixaste-me curios...
Obrigada, Márcia. Quando pedi para avisares, pense...
Muito obrigada, Isaura! Beijinho!
Beijinhos, Isaura! Obrigada por teres ido!
Olá Paula! Vêm aí novidades interessantes da Minot...
Acho que vais gostar, Ana!
é bem "agarrado", Teresa!

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

.gosto

blogs SAPO

.subscrever feeds