Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Os Loucos da Rua Mazur, de João Pinto Coelho - A minha leitura

Os Loucos da Rua Mazur.jpg

Página 304. Descanso. Só falta um capítulo mas quero parar. O pior já passou, penso. Ou não. O mal, primitivo, que insistimos em achar que não entendemos, fará sempre parte de nós, humanos. Abraço-me e, deitada de lado, com as mãos ao redor dos joelhos, penso. Penso neste livro, que esperei que fosse publicado, mesmo quando o autor dizia que se iria ficar pelo fantástico “Perguntem a Sarah Gross”. Esperei por um livro assim, ainda melhor, muito mais bem escrito (céus, parece obra do diabo a forma como o homem se pôs a escrever), com uma história que sai muito do que eram (provavelmente) as expectativas da maioria, e que surpreende por essa mesma história se converter em muitos temas-filhos (que são o que realmente importa) do aparente tema principal: perseguição aos judeus durante a segunda guerra mundial.

“Os Loucos da Rua Mazur” agrediu-me com a violência dos livros mais bem escritos, que estão por trás das mentes mais iluminadas. Distancia-se do anterior com uma qualidade que eu queria mas não sei se esperava, pois teria de esperar tanto… e, se calhar, o tempo vai-nos ensinando que é melhor esperar pouco.

Estou certa que não agradará a alguns leitores, por não ser tão fácil nem tão imediato como Sarah Gross, por dar tanto, mas só a quem gostar de escavar bem fundo e não tiver medo do que possa encontrar. Aos destemidos garanto material para reflexão, mas ficam por vossa conta no campo da dor; se souberem lidar com o sofrimento fica mais fácil.

Esta é uma leitura muito pessoal, que partilho por não poder não escrever estas linhas. Ando afastada do blogue e das opiniões e, apesar de continuar a descobrir livros, leio-os de outra forma. Se calhar agora é que estou a aprender a ler a sério. Este espaço fica guardado para quando me apetecer voltar.

E agora vou ler o último capítulo. Para já acredito que é o amor incondicional que nos salva. Quando terminar o livro… logo se vê no que acredito.

Sinopse

“Quando as cinzas assentaram, ficaram apenas um judeu, um cristão e um livro por escrever.
Paris, 2001. Yankel - um livreiro cego que pede às amantes que lhe leiam na cama - recebe a visita de Eryk, seu amigo de infância. Não se veem desde um terrível incidente, durante a ocupação alemã, na pequena cidade onde cresceram - e em cuja floresta correram desenfreados para ver quem primeiro chegava ao coração de Shionka. Eryk - hoje um escritor famoso - está doente e não quer morrer sem escrever o livro que o há de redimir. Para isso, porém, precisa da memória do amigo judeu, que sempre viu muito para além da sua cegueira. 
Ao longo de meses, a luz ficará acesa na Livraria Thibault. Enquanto Yankel e Eryk mergulham no passado sob o olhar meticuloso de Vivienne - a editora que não diz tudo o que sabe -, virá ao de cima a história de uma cidade que esteve sempre no fio da navalha; uma cidade de cristãos e judeus, de sãos e de loucos, ocupada por soviéticos e alemães, onde um dia a barbárie correu à solta pelas ruas e nada voltou a ser como era.
Na senda do extraordinário Perguntem a Sarah Gross, aplaudido pelo público e pela crítica, o novo romance de João Pinto Coelho regressa à Polónia da Segunda Guerra Mundial para nos dar a conhecer uma galeria de personagens inesquecíveis, mostrando-nos também como a escrita de um romance pode tornar-se um ajuste de contas com o passado.”

Prémio Leya 2017

publicado por marcia às 23:11
link do post | comentar | favorito (1)
|
Domingo, 26 de Novembro de 2017

Livros ao preço de postais. Quem resiste?

livrosaoprecodepostais.jpg

Neste Natal, mais de 150 livros da Fundação Francisco Manuel dos Santos têm desconto de 50%. Gosto bastante destes livrinhos e não sei se resisto. Fica a sugestão.

Comprem online, com portes de envio gratuitos e possibilidade de pagamento no Multibanco.

 

tags:
publicado por marcia às 00:40
link do post | comentar | favorito (1)
|
Domingo, 12 de Novembro de 2017

Uma Coluna de Fogo - Ken Follet

01040673_Uma_Coluna_Fogo_MAIL.jpg

Há livros que correspondem ao que esperamos deles, e não nos colocam nos braços as desilusões habituais quando as expectativas são demasiado elevadas. Não que não tivesse boas expectativas em relação a este livro, não é isso, mas Ken Follet sabe jogar com a sua própria receita vencedora. E muito bem.

“Uma Coluna de Fogo” é um livro competente, fruto de uma pesquisa exaustiva e metódica que, além de nos apresentar os factos históricos, lhes encaixa habilmente a ficção narrativa. Regressamos a Kingsbridge, o que é fantástico, dado que “Os Pilares da Terra” continua a ser dos meus preferidos do autor, e mesmo voltando ao mesmo local pela terceira vez (“Um Mundo sem Fim” foi a primeira sequela), trabalhando a mesma fórmula que orienta o progresso das personagens, continua a ser um prazer ler um livro (desculpem, um calhamaço) de 767 páginas.

Séculos XVI e XVII, de Kingsbridge para o mundo (mesmo). Os Tudor, guerras religiosas, traição, violência, morte e, claro, amor. Ned e Margery amam-se desde muito novos, sabemos desde a primeira página que vão ser separados (não é spoiler, é óbvio) mas, apesar dos seus percursos diferentes a tantos níveis, não irá o leitor torcer por eles até à última réstia de esperança? É assim gostar de Ken Follet, leva-se umas sovas com as reviravoltas, a tristeza chega quando as hipóteses estão contra o herói, mas há qualquer coisa que nos faz acreditar sempre no impossível. E isso é saber contar uma história.

Sinopse

“Natal de 1558. O jovem Ned Willard regressa a Kingsbridge e descobre que o seu mundo mudou. As velhas pedras da catedral de Kingsbridge contemplam uma cidade dividida pelo ódio de cariz religioso. A Europa vive tempos tumultuosos, em que os princípios fundamentais colidem de forma sangrenta com a amizade, a lealdade e o amor. Ned em breve dá consigo do lado oposto ao da rapariga com quem deseja casar, Margery Fitzgerald.

Isabel Tudor sobe ao trono, e toda a Europa se vira contra a Inglaterra. A jovem rainha, perspicaz e determinada, cria desde logo o primeiro serviço secreto do reino, cuja missão é avisá-la de imediato de qualquer tentativa quer de conspiração para a assassinar, quer de revoltas e planos de invasão. Isabel sabe que a encantadora e voluntariosa Maria, rainha da Escócia, aguarda pela sua oportunidade em Paris. Pertencendo a uma família francesa de uma ambição brutal, Maria foi proclamada herdeira legítima do trono de Inglaterra, e os seus apoiantes conspiram para se livrarem de Isabel.
Tendo como pano de fundo este período turbulento, o amor entre Ned e Margery parece condenado, à medida que o extremismo ateia a violência através da Europa, de Edimburgo a Genebra. Enquanto Isabel se esforça por se manter no trono e fazer prevalecer os seus princípios, protegida por um pequeno mas dedicado grupo de hábeis espiões e de corajosos agentes secretos, vai-se tornando claro que os verdadeiros inimigos, então como hoje, não são as religiões rivais. A batalha propriamente dita trava-se entre aqueles que defendem a tolerância e a concórdia e os tiranos que querem impôr as suas ideias a todos, a qualquer custo.”

Editorial Presença, 2017

Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral

publicado por marcia às 00:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito (1)
|
Quarta-feira, 1 de Novembro de 2017

Os Loucos da Rua Mazur, de João Pinto Coelho - Livro Vencedor do Prémio Leya 2017

Os Loucos da Rua Mazur.jpg

Paris, 2001. Yankel – um livreiro cego que pede às amantes que lhe leiam na cama – recebe a visita de Eryk, seu amigo de infância. Não se veem desde um terrível incidente, durante a ocupação alemã, na pequena cidade onde cresceram – e em cuja floresta correram desenfreados para ver quem primeiro chegava ao coração de Shionka. Eryk – hoje um escritor famoso – está doente e não quer morrer sem escrever o livro que o há-de redimir. Para isso, porém, precisa da memória do amigo judeu, que sempre viu muito para além da sua cegueira. Ao longo de meses, a luz ficará acesa na Livraria Thibault. Enquanto Yankel e Eryk mergulham no passado sob o olhar meticuloso de Vivienne – a editora que não diz tudo o que sabe –, virá ao de cima a história de uma cidade que esteve sempre no fio da navalha; uma cidade de cristãos e judeus, de sãos e de loucos, ocupada por soviéticos e alemães, onde um dia a barbárie correu à solta pelas ruas e nada voltou a ser como era.
Livro Vencedor do Prémio Leya 2017
Nas Livrarias a 21 de Novembro

publicado por marcia às 11:02
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito (1)
|
Quinta-feira, 26 de Outubro de 2017

Lançamento da Antologia de Contos "A Criança Eterna" - Centro Mário Cláudio, 28 de Outubro, pelas 17h00

22552768_827322610783197_2604188890758561459_n.jpg

É já no sábado o lançamento da Antologia de Contos "A Criança Eterna", em que participo com o Conto "O Espelho".

Pelas 17h00 no Centro Mário Cláudio, em Venade, Paredes de Coura.

Estão todos convidados!

publicado por marcia às 21:00
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Outubro de 2017

Escritaria em Penafiel 2017 - Biblioteca Municipal

22688890_1587441254635847_2030842499846659014_n.jp

 22688076_1587441661302473_1051909772076045194_n.jp

 22688025_1587441371302502_9145903568622554547_n.jp

Fotografias de Gil Cardoso. Mais fotos da Escritaria 2017 aqui.

publicado por marcia às 00:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

Escritaria em Penafiel 2017 - Passeando

Eu sei que me vou repetir, mas não há palavras para o envolvimento e participação da população na Escritaria. Desde a música, ao teatro, às artes plásticas, a intervenção é transversal, e tudo é um modo de (também) mostrar a importância atribuída às artes e à criatividade nesta cidade.

Partilho algumas fotos que o Gil Cardoso foi tirando quando, em modo passeio, nos fomos deixando encantar (sempre) mais um pouco por esta cidade.

22552713_1587441867969119_116424491348604518_n.jpg

 22729110_1587441351302504_7508804584330657667_n.jp

 22728795_1587441511302488_7371905235193474532_n.jp

22687709_1587441924635780_2882411629657864092_n.jp

 22728849_1587441251302514_7171873079898733479_n.jp

publicado por marcia às 00:12
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 22 de Outubro de 2017

Escritaria em Penafiel 2017 - Pelas Ruas

22554789_1586609174719055_5926845079022036009_n.jp

 22730421_1586609028052403_7161408643613942257_n.jp

Fotografias de Gil Cardoso

 

publicado por marcia às 18:42
link do post | comentar | favorito
|

Escritaria em Penafiel 2017 - Biblioteca Municipal

viajarpeloolhar.jpg

No segundo dia da Escritaria foi inaugurada a exposição “Viajar pelo Olhar de Miguel Sousa Tavares”, na Biblioteca Municipal. Os visitantes acompanharam, ao mesmo tempo que o autor, uma apresentação detalhada sobre cada um dos trabalhos expostos. Os livros foram a principal inspiração para os trabalhos de sobreposição e colagem numa interessante associação de ideias.

Continua a impressionar-me a simplicidade deste festival e a forma como permite a proximidade entre o público e o autor. Há uma envolvência que me encanta nesta cidade e que leva a que as pessoas se aproximem dos livros e de tudo o que com eles se relaciona.

O auditório da Biblioteca convidou à leitura e a Trupe "Palavras vivas" respondeu à chamada com uma qualidade extraordinária, lendo de uma forma que eu acredito que tenha emocionado Miguel Sousa Tavares. Seguiu-se uma leitura muito bem desenvolvida por Fernando Soares.

Estes momentos foram, a meu ver, dos mais bem conseguidos do dia.

Em seguida, e já no exterior, assistiu-se a uma cena de Equador. Foi muito bom mas, infelizmente, não foi no local mais adequado devido ao barulho dos carros na rua.

publicado por marcia às 00:59
link do post | comentar | favorito (1)
|
Sábado, 21 de Outubro de 2017

Escritaria em Penafiel 2017 - Pelas Ruas

22710086_526000534399553_1780852224_n.jpg22684891_526000384399568_1026668444_n.jpg

Em Penafiel, o comércio de rua não fica indiferente à Escritaria. Há referências ao homenageado deste ano (e também dos anteriores) nas montras e dentro das lojas. Gostei muito desta ideia na montra de uma loja de noivas: um vestido inspirado no romance "Equador".

publicado por marcia às 11:30
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.a ler


.a ler também


.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Os Loucos da Rua Mazur, d...

. Livros ao preço de postai...

. Uma Coluna de Fogo - Ken ...

. Os Loucos da Rua Mazur, d...

. Lançamento da Antologia d...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

. Escritaria em Penafiel 20...

.últ. comentários

Também acho!
Demasiadas páginas que voam...
Interessante cou ler também.
Nunca cheguei a ler OS Pilares da Terra, mas vi a ...
Quero, quero, quero!!!!!!!!! :)
Eu queria saber o porquê de eu ter guardado o nome...
este está ali na fila de espera. Demasiadas página...
Fazes bem, eu adorei.
Que maravilha de evento!Um dia vou 😊
Excelente festival. Vale a pena descobrir.Beijinho...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

.gosto

blogs SAPO

.subscrever feeds